Friday, May 21, 2004

Si cariño, se a ti te gusta, a mi m'encanta! ou o estigma da pornolalia quotidiana...

Pois é meus amigos, cá estamos de novo, n é? E antes d m pronunciar sobre o tema em questão, queria dar as boas vindas aos mais novos elementos da seita (isto tá mm a crescer!). Live long and prosper!

Ora então vamos falar da pornolalia quotidiana. Não sei se já repararam, mas a cada dia que passa certas expressões dignas de uma bela foda vista no excelso e culturalíssimo canal 18, estão cada vez mais a serem empregues no falatório do dia-a-dia dos estudantes portugueses. Ora isto tráz-me à mente algumas permentes questões filosóficas, do género: "Será k, ao cravar o nabo inchado na real bunda da menina, tb tenho k falar assim?" ou "Será k ao dizer isto durante o acto sexual estimulo, de forma oral, a gaja que já de si se encontra esparramada à minha frente?" ou "Será que de alguma forma isto denota alguma falha da minha parte (ou da parte de quem não o faça) em termos sexuais?" ou ainda, e a mais importante delas todas "Será que quem está sempre com estas expressões tenta de alguma forma compensar alguma falta?".
As eruditas epressões "Si cariño", "A mi me gusta", "Tiengo un regalo para ti" ou os clássicos portugueses "Ui ca bom!", "Tá todo lá dentro!" e "Queres óleo??" andam a prender a minha atenção quando (sem segundas intenções) me ponho a escutar o falatório do pessoal que se encontra à minha volta, lançando no ar (qual empregado de construção civil/carregador de baldes de massa) estes belos piropos. Há diferenças, no entanto que me sinto na obrigação de salientar. Entre elas principalmente o facto de serem faladas entre membros do mesmo sexo! (masculino, é claro. mas se souberem de alguma miúda que fale assim, corrijam-me e por favor dêem-me o número dela.) Oh meus amigos! Não necessidade, é que não há mesmo!!! Ora com cerca de 7 gajas pra cada nabo (ok, ok, 5 se não contarmos com a possível transexual/gaja-feia-comó-caralho/bota-da-tropa), há coisas melhores com que nos ocupar do que estramos a vomitar palavrinhas de amor uns aos outros. Pronto, tá bem uma vez ou outra ainda vá, mas constantemente não!!! Ide aprender com os trolhas e pedreiros! Eles ao menos dirigem as suas hiperactivas libidos para o sítio certo, ou seja, qualquer rabo-de-saia que consigam ver do poleiro onde se encontram. Pronto, dito isto e assumindo que a partir de agora deixem de ser rabetas, viro a minha atenção para uma possível consequência desta moda. Será que esta constante utilização da carícia oral está a substituir a bela e austera palmada no glúteo (ou rabiosque, para quem esteja menos informado sobre anatomia)? Será que foi entretanto, e sem que eu tenha sido avisado ou muito menos consultado sobre o facto, substituída por estas belas palavras de amor e carinho.
Atenção: não é que eu esteja a reclamar, mas acho que a conjunção das duas coisas (sussurros amorosos de "já tá todo no cú da querida" com uma estridente palmada bem aplicada) será muito mais proveitosa, já que na maior parte do tempo há coisas melhores com que ocupar a língua (não, não vou dar exemplos, vocês que se desenrasquem sozinhos seus larilas sexualmente incompetentes!).
É que se o caso aqui é que deixámos de poder assentar ruidosamente a mão, para passar a unica e exclusivamente levantar a voz, peço imensa desculpa mas não vou aderir a este movimento! Já chega ter começado a escrever num blog, foda-se!

Bem, depois deste desabafo, meus caros, espero que se sintam compelidos a adoptar algumas das dicas que eu aqui deixei. Deixai de ser rabetas! Ide, ide fundo e com ele bem grosso! Mas tomai cuidado, meus pequenos aprendizes, não tomai por certo o pito e joguai a mão pra não apanhar com a surpresa da salsicha escondida! E já agora tomai também cuidado com os sutiãs de enchimento (coisa vergonhosa, publicidade enganadora!!!).

Até à próxima

9 comments:

Prof. Bambo said...

Ou muito me engano ou este blog vai virar "o meu pipi2"!

dharyk said...

a intenção não é essa, mas se tiver o mm sucesso que o outro... oh! que chato!

Vanadis said...

Pois eu te digo: se ouvisse esse belo "tá todo lá dentro no cú da querida", era homem a voar pela janela de certeza. Mas subscrevo: deixem de ser rabetas, porra! Uma mulher gosta de palavras doces no momento certo e de palavrões na altura própria. Mas não qq ordinarice, atenção...
E por acaso até conheço algumas com um palavreado mais sonante e vibrante ao comum ouvido. Capazes de fazer corar até os trolhas das obras. Quando é preciso, é preciso. Mas há um tempo e uma altura certa para tudo.

E, ahaha, com que então segues o dito canal 18 com um interesse científico...

ganda said...

"(...)e de palavrões na altura própria. Mas não qq ordinarice, atenção...
E por acaso até conheço algumas com um palavreado mais sonante e vibrante ao comum ouvido."
Vanadis, Vanadis, Vanadis: Abres o livro na página certa, e depois lês só para ti??? (se é que eu me faço entender)
Vá, vá, faz deste um "blogoserviço público" e esclarece lá os digos representantes da classe que já não manda dentro das quatro paredes....

Trocando por míudos: a gente quer saber quais são os palavrões-não-ordinários-capazes-de-fazer-corar-os-homens-das-obras-mas-que-deixam-as-mulheres-"doidas"!!!

hasta

Vanadis said...

Erro meu. O que eu queria dizer é que conheço algumas mulheres capazes de soltar palavrões que fariam corar um trolha. E isso é aparte dos palavrões certos na altura certa. Q palavrões certos são?? Ora, isso depende da "Maria" em questão!! Cada mulher tem a suas preferências!!

ZP said...

"Cada mulher tem a suas preferências!!" Concordo, conheci uma que gostava em cima da máquina de lavar...

Anonymous said...

Palavrões em cima da máquina de lavar? É uma nova blogonovela?

Vanadis said...

Pf, lá me esqueci de me "desanonimar"...sorry...

ganda said...

Mas não há dúvida que essa grande instituição que é o canal Vivir (vulgo 18) presta o verdadeiro serviço público... e então prestem atenção à história do meu amigo Leo:
Quando fui para Badajoz fazer parte do meu trabalho de estágio, recebi num dos fins de semana a visita de uns amigos, entre eles o Leo. RAMBOIAAAAAA, que para os lados de espanha é o significado de "Botellon". Jantar reforçado em Elvas e partida para Badajoz, no gandaMobile. O Botellon é a puta da loucura toda a gente de garrafinha no saco de plástico, gajas a dar com o pau. Em Badajoz fomos ter com nuestros hermanos Fran e Alex. Imaginem o Leo, um Luso-Francês a tentar falar espanhol... LOLOLOL pois é isso mesmo! Mas chegado ao local do Botellon o Fran e o Leo foram ver as vistas, que é o mesmo que dizer, GAJAS!! No regresso o Fran veio ter comigo e dizia: "meu como é possível pensava que o Leo não falava espanhol, mas de um momento para o outro começou a falar num espanhol correctissimo!!" (isto já está traduzido para vos facilitar a vida) E eu: "Ai sim???!!", "Sim, sim. de um momento para o outro começou - Oh Si cariño, se a ti te gusta, a mi m'encanta" LOLOLOL
serviço público meus amigos, serviço público!!!