Monday, June 20, 2005

Difícil escolha...

Hoje surgiu-me à porta do escritório um rapaz que me veio pedir um conselho acerca do futuro que queria seguir.
Confesso que fiquei um pouco surpreendido por tal confiança (afinal eu nem conheço muito bem) mas é obvio que não lhe iria recusar tal pedido.
Sentou-se, explicou-me que estava a fazer os exames nacionais e que estava quase na hora de decidir o que seguir. Confessou que estava indeciso entre Bioquimica e Direito. Queria saber a minha opinião...
Fiquei momentâneamente sem palavras (e não, não estava a beber nenhuma Boémia!).
Frisou que só estaria interessado em Bioquimica se fosse para fazer investigação, não importando se fosse em Portugal ou no estrangeiro.
Perguntei-lhe, uma vez que são duas áreas distintas, qual é que ele se inclinava mais. Respondeu-me, dizendo que gosta mais das área cientifica, mas que nunca descurou o "bichinho" que tem pelo Direito, agregado à vertente Politico-Social.
Dei-lhe a minha opinião sobre o que sabia, ou seja, pelas perspectivas de futuro no Direito - resposta curta - e com aquilo que podia contar. Quanto à Bioquimica, respondi simplesmente que ia "estudar o caso", iria indagar, e que, se assim entendesse, passasse cá esta semana, para ouvir o meu parecer.
Saiu satisfeito. Fico sempre feliz quendo isso acontece.
Não lhe cobrei consulta! :-D

Quando ele voltar, o que lhe vou responder sobre Bioquimica?

31 comments:

ZP said...

Quando ele te perguntar sobre bioquímica, diz-lhe para ter juízo.

Vanadis said...

:-D

É assim, Bioquímica, só se ele estiver disposto a ir lá para fora trabalhar...
A Bioquímica em Portugal não está a dar...é preciso ir lá para fora. E investigação sigmifica tirar uma boa média de licenciatura, conseguir doutoramento...e muitas vezes o doutoramento tem de ser feito fora do País.
Em Portugal, safa-se melhor com direito.

Prof. Bambo said...

Tu quando foste para Bioquimica, ainda tinhas juízo ou foi engano, Zp?

:-D

ganda said...

Realmente são coisas distintas...

ganda said...

Bom a realidade é esta. Se o tipo quer seguir investigação na área da Bioquimica há que fazer ver-lhe que tem um caminho muito penoso a seguir. Se ele quer fazer investigação ele tem que investir na nota de final de curso, independentemente do curso e da universidade. O que conta é a nota final. Se ele se aplicar consegue entrar num doutoramento, e sejamos pragmáticos, para seguir Ciência, investigação com ideias próprias ou com maior autonomia esse é o caminho a seguir.

Dentro da investigação as áreas são mais que muitas e em qualquer curso ele poderá descobrir qual a investigação que deseja desenvolver.

Podia dar-lhe muitas mais dicas, mas diz-me só uma coisa que idade tem ele?

Vanadis said...

Se vai fazer os exames, deduzo que tenha 17, 18? Está na idade, poix...de não saber o que quer.
Olha, profe bambo, eu sou sincera: se soubesse o que sei hoje, não tinha ido para Bioquímica. Mas há uns anos atrás a coisa não parecia assim tão preta. Se o raspaz estiver empenhado em trabalhar para uma boa -16 de preferência- média de curso, para trabalhar num doutoramento e penar...mas, especialmente, para uma boa média de curso. Imprescindível esta parte se quiser investigar em Portugal.
Continuo a achar que se safava melhor em Direito, no futuro. E pode sempre ir tirando um curso de Bioquímica por hobby...conheço quem o tenha feito.

ganda said...

sobre direito o prof.Bambo saberá explicar melhor que nós. mas é preciso ver que agora toda a gente quer ser advogado ou juiz ou então ciêntista isto tudo à pala das séries tão populares como CSI, judging Amy, young lawyers etc etc...

Ele que escolha o qual ele estiver mais confiante. ele é de que agrupamento?

E que não pense em tirar um outro curso por "hobby" (there is no such thing like that").

Prof. Bambo said...

A idade não sei mas ele está no agrupamento de cientifico-natural.
Tem tantos outros cursos por onde escolher, designadamente ligados à área da saúde...não acham?

ganda said...

Mas o problema desses cursos é o mesmo do problema da bioquimica.
Independentemente do curso e da universidade, o que interessa é a média final. e se ele quer ser investigador é isso que ele tem que ter em mente!

Agora Bioquímica é o melhor dos cursos de ciências (cofcof!!), além disso é talvez um curso mais dificil de tirar uma nota alta. Esse é que é o mal.

Num outro curso tens mais direito a dar "abébias". Aqui não há lugar para falhanços é "matar ou morrer", "mata-mata"!!

Vanadis said...

Bem, podia tirar o de medicina e ir p investigação à pala disso.

Porque não tirar um curso por hobby? Conheço quem o tenha feito! E com boas notas. Obvio que não é propriamente hobby, hobby, mas era mais no sentido de a par com outra coisa, só para saber mais ou assim.

Se eu pudesse, tinha ido para Médica. Mas não podia. Na verdade, o que me fez ir p Bioquímica foi precisamente terem-me dito que eu até que passava nos pré-requisitos, mas que depois teria de escolher medicina legal, patologia ou análises. E eu pensei "para isso vou p bioquímica". E a verdade é que já no liceu adorava bioquímica, saúde e biologia.

O ganda tem razão.`Por causa das séries de advogados e do CSI há uma febre de ciencias e direito. LOL. E por acaso até trabalham bioquímicos na PJ. E têm falta de mais bioquímicos. O problema é que não há dinheiro para contratar mais nenhuns.
E nas análises clínicas, há o problema do dinheiro também. Geralmente querem empregar pessoal sem licenciatura para pagar menos. E cada vez mais é assim.
Na área da Saúde, podia ir para Farmácia ou Medicina. Enfermagem não aconselho. Está em declínio.

ZP said...

Resumindo, aconselho-o a ir para bioquímica se:
- Estiver preparado para estudar que nem um animal durante o curso para acabar com uma boa média.
- Estiver preparado para viver de bolsas durante muitos anos, sem grandes regalias nem estabilidade.
- Estiver preparado para, em determinados momentos da carreira, ter que trabalhar à borla sem receber um tostão.
- Estiver preparado para passar dias e noites enfiado dentro de um laboratório, muitas vezes a bater com a cabeça nas paredes a tentar perceber porque razão tudo corre mal.
- Estiver preparado para ir para fora de Portugal, pois muitas vezes é a única hipótese e quase sempre é a mais acertada.

Apresentou demissão said...

A questão está em ser verdadeiro para o puto. Perguntar-lhe se, antes de ter feito as escolhas, já pensou se quer ficar desempregado depois da licenciatura muito tempo ou menos tempo que muito tempo, Bioquímica e direito respectivamente. Porque se o mercado está saturado agora, nas áreas de direito e é quase nulo na área da bioquímica, e que pelo menos (contando que lhe corre tudo muito bem, estuda que nem um animal e até tira uma excelente nota final) estará licenciado daqui a 5 anos, tendo ainda além dos desempregados agora, mais essas mesmas 5 fornadas que irão sair antes dele. Ou seja, daqui a 5 anos, não há país estrangeiro, da UE ou qualquer outro que vá aceitar mais estudantes investigadores Portugueses. Afinal o desemprego é uma realidade mundial, com mais significado na Europa, e não podemos esquecer que cada país dará 1º a oportunidade ao seus habitantes de origem e em curto espaço de tempo dará oportunidade única e exclusivamente aos "seus". Entre outras coisas, era uma das razões porque Durão Barroso, pressionava a Europa no referendo da constituição, mas isso é outra história, referencia a este: um homem com uma capacidade estrondosa de trabalho, que deixamos fugir para a Europa. (E não sejamos ingenuos, estamos numa competitividade dura e cruel. O que o presidente tinha a fazer na altura era dobrar-lhe o salario e “obriga-lo” a ficar, é o que fazem as grandes multinacionais com trabalhadores assim, não podemos dar ao luxo de perdermos excelentes profissionais, custe o que custar, à pala disso ganhamos o coitadinho do Socrates). Voltando à escolha do rapaz "Ah, mas coitadinho, é aquilo que ele gosta... deixa o ir". ERRADO! Sempre que tenham oportunidade, esclareçam o que não vos foi esclarecido a vocês mesmos! Com 17/18 anos não conseguimos ter essa visão, queremos concretizar um sonho, que ainda nem sabemos se é esse mesmo o "nosso grande sonho" como comprova a duvida que se coloca a esse rapazola, bioquímica ou direito... nada a ver uma com a outra. Agora há uma questão que ele abordou, a da investigação, independentemente, dos "maiores" gostos que tem agora, quer um futuro profissional com excelentes perspectivas, numa área que lhe permita investigação, provavelmente a melhor perspectiva actual, a seguir à gestão de poços petrolíferos, é sem qualquer margem de duvida enveredar pelas novas tecnologias. Neste momento, estamos prestes a entrar numa nova era, e são os próximos 5/6 anos que vão ocupar os novos postos de trabalho que vão surgir, nestas mesmas áreas. E não estou a falar de informática, ou engenharia informática. Mas mesmo nesta, ainda nem sequer estamos perto da saturação ou de sequer falar dela. Estou a falar exactamente de engenharias de sistemas, engenharias de computação, de engenharia de telecomunicações. Nesta conjuntura, não há espaço para caprichos, para o “eu até gosto, mas se calhar preferia outra coisa...” Vejamos, na Era medieval, as pessoas não eram aquilo que queriam ser, eram aquilo que fazia falta nessa mesma altura, se fizessem falta soldados era pra soldados que uma geração ia, se houvesse falta de ferreiros, eram ferreiros que se formavam etc, etc, etc. Por muito ridículo que pudesse ser este exemplo, não o é, por, e só por, assim conseguiam criar equilíbrio e precaver o futuro. Vamos ser racionais, se nos pedem agora sacrifícios, que se façam em prol da sociedade e da concorrência externa. Talvez quando esse miúdo, ainda agora em fase de construção de identidade, tiver filhos, seja altura pra investir na bioquímica, direito, ou até mesmo na psicologia (falei nesta, porque ainda não compreendi como não fecharam completamente este curso, acho que 450 mil psicólogos desempregados ou a exercer outra actividade que não ligada a esta área, já CHEGA!). Ainda pra tudo isto, acresce a subida da idade da reforma que este Socrates inventou agora... nem vou falar deste pascáciu... ou seja os postos agora ocupados, estarão à disposição dos agora desempregados, mais 5 anos do que estes agora esperavam.
Tenho ainda a dizer que se ele seguir este tipo de engenharias para as novas telecomunicações poderá seguir, por exemplo, para uma investigação em engenharias de sistemas, a profissão mais bem paga neste momento em Portugal, em termos globais e que se prevê que esteja saturada , imaginasse, em 2025! É muito difícil, é verdade, mas pra que está à espera de tirar mais do que 16 em bioquímica, não deverá ser preocupante, no que respeita à carga de trabalho. Claro, e para finalizar, baseei-me no facto de ele estar no 1º agrupamento, científico-natural, o discurso não seria o mesmo pra outra area!
Porra... por isso é que não comento os “posts”... começo não me apetece parar...era só pra meter :” o puto que tire à sorte, e seja o que Deus quiser”... beijos e abraços.

Apresentou demissão said...

Já agora, aproveito também, e porque fui mal interpretado no comentário do Álvaro Cunhal, ou não me expliquei convenientemente, nomeadamente para a Vanadis, não, não estava nervoso, nem preciso que me aconselhem calma, digo o que digo assumindo todas as responsabilidades, que neste caso, não são nenhumas. Tenho opinião formada no que respeita à politica que se exerce, que foi exercida e que deveria de ser exercida, e aceitem ou não, é só essa que posso transmitir. “Um opinador, é mesmo isso, um barman rotativo”
Como dizia o António Pinto Leite, “Não devemos misturar os conceitos e os desígnios: Álvaro Cunhal lutou pelo derrube da ditadura de direita, mas não lutou pela liberdade.
E acrescento, fazendo a ligação com este das escolhas nos estudos que agora se fazem pelos mais novos, Álvaro Cunhal queria impor uma ditadura comunista, mas teve a inteligência de, quando viu que Mário Soares se tinha adiantado, numa manobra estratégica politica de forma superior, de recuar e lhe dar a vitória, continuando assim a lutar do mesmo lado da barricada, à espera de um passo em falso, que Mário Soares nunca deu! A ligação faz-se exactamente porque se imaginarmos, como seria sermos governados por um Álvaro Cunhal, em ditadura comunista, quem quisesse estudar, não teria a mesma possibilidade de escolha, que têm agora, e aqui vem a Utopia, que a mesma Vanadis falava, era óptimo porque só existiam licenciaturas que pudessem ter saída profissional, assim que se esgotasse os recursos humanos em Portugal para essa determinada área, acabavam de imediato de serem leccionadas. Eram por isso muito controladas e corria tudo na perfeição. O pior vinha, quando alguém quisesse contra esta “maravilha de sociedade perfeita”, seguir ou estudar algo que não estivesse permitido pela ditadura. Era considerado um homem prejudicial para a sociedade perfeita, a ovelha tresmalhada que estragaria o rebanho, e das duas uma, ou se prendia, se fazia uma lavagem ao cérebro e se curava, ou se mesmo isto ainda não chegasse, matava-se, este e se mais lhe seguissem, era o genocídio, tudo por uma terra perfeita. Daí não sentir que Portugal ficou mais pobre por ter morrido Álvaro Cunhal, mais pobre ficará quando morrer Eusébio... e se acontecer, explicarei o porquê!

Vanadis said...

Ok, não digo que não tenhas razão. mas porque gosto de ser advogada do diabo, digo que ao menos era um homem que lutava por aquilo em que acreditava. Homens desses são hoje muito raros.

Vanadis said...

E que esteve 11 anos em isolamento quase total, imposto pelo mui bueno salazarito...
Não vejo qual é o mal de querer implementar uma política comunista. Não digo ditadura, óbvio. Mas ao fim e ao cabo, ditadura temos nós agora...qual república democrática qual carapuças...
Um governo comunista bem orientado resloveria muita coisa. Mas o comunismo bem aplicado é uma Utopia, infelizmente.
E não sabemos se, caso o cunhal tivesse mesmo implementado a ditadura comunista, iriam ter lugar perseguições à oposição. É óbvio que neste Mundo de hoje isso é a regra. Mas não sabemos se seria regra com o Cunhal. Eu arrisco a dizer que não.

Enfim, a verdade é que no papel (ou écran) é tudo muito bonito, mas a realidade, essa, nunca se sabe.

Oprichnik said...

Eu acho que realmente ele não deve tirar à sorte, mas também não deve pensar demais. Quanto mais se escolhe menos se acerta. Mas cá para mim sinceramente acho que o prof. Bambo devia aconselhar esse tal jovem a entrar num mundo pluri e interdisciplinar que é a Biotecnologia. :P

Vanadis said...

Quem vai p Bioquímica tb vai para Biotec... ;-p Bem, eu vou tirar o mestrado de Biotec, p poder ter "mestre" no CV e ter m ais portas por onde entrar. E a verdade é que não me apetece nada, enfim.
Mas o nosso amigo-com-nome-estranho-que-já-vi-que-deve-estar-ligado-a-biotec, ;-p, tem razão. Quem muito escolhe, pouco acerta. Ás vezes o melhor é deixar correr, trabalhar e tentar encontrar um sentido nas coisas. Porque, afinal, uma pessoa fica a gostar daquilo que sabe fazer.

Eu até propunha...já que a àrea é científico-natural, ele que vá p bioquímica. Está um ano a descobrir esse mundo (embora o primeiro ano não dê p nada, na verdade só se começa a gostar mesmo é no último ano...acho eu) e a ver como se dá. Se vir que realmente não acertou, pode sempre mudar p direito...

Em ambos os casos, muito trabalho o espera.

Prof. Bambo said...

Já tenho muito pra lhe dizer...
Ele agora é que sabe!

Vanadis said...

Exacto, ele agora é que sabe. ;-)

Apresentou demissão said...

Não é nada pessoal, Vanadis, mas acho que agora ele não sabe mesmo...

Sempre fui um apaixonado por politicas extremistas, mais especificamente, por lideres extremistas e o que lhes passava pela cabeça pra ideologias assim. Muitas paginas, centenas se calhar milhares, consumi livros, documentários, tudo que possas ter ouvido falar, eu já li ou vi pelo menos duas vezes! Quer de direita, quer de esquerda, e tudo isso, o que sei, o que aprendi, faz com que não arrisque nem a ponta de uma unha, de quais as pertenções que Álvaro Cunhal tinha. Aliás, todas as manobras que realizou, ao contrário de que se possa pensar, foi uma cópia exacta de Estaline. A verdade é que foi, pra nosso bem, traído pelo seu sempre protegido e discipulo, Mário Soares. Pra quem não sabe, Mário Soares era um aluno brilhante e já com 16 anos era um estratega impressionante, tanto assim que Álvaro Cunhal, recrutou-o, convenceu a mudar de terra, de escola, e tentou incutir-lhe toda a sua sabedoria e valores. E mesmo no tempo de cativeiro, ou depois no exilio, nunca se separaram, até`ao momento da queda da ditadura. Nessa altura, só mesmo Álvaro Cunhal sonhava com o regime Comunista. E se não vês qual é o mal disso, criar um regime comunista, acredita que não estás sozinha nessa ilusão, graças a Deus, existiram pessoas com muito mais consciencia e com o profundo conhecimento a que isso levaria. Perturba-me ainda mais, quando é uma mulher, a dizer tal coisa. Afinal que relevância tem uma mulher num REGIME comunista? O partido comunista existe hoje, porque deixou de estar 100% voltado à esquerda.Mário Soares criou o partido socialista, um partido com postura à esquerda mas que pensava à direita e existe uma video ainda a preto e branco,num só plano, que se pode perceber qual era a intenção de Álvaro Cunhal e na altura a intenção de Mário Soares de travar tal catastrofe. Se quiseres posso converter pra divx e enviar-te. Por último, "ao menos era um homem que lutava por aquilo em que acreditava. Homens desses são hoje muito raros." É verdade, são poucos hoje, mas exitem. Hitler também era um homem assim, a proposito, fui ver hoje "A Queda", ao cinema. Bastante elucidativo, o que é o querer de um Homem, a todo o custo, acreditando e lutando sempre até ao fim... mas homens destes não precisavamos, obrigado!

Apresentou demissão said...

É assim, Vanadis, não é pra te irritar, mas prontos...

Apresentou demissão said...

É assim, Vanadis, não é pra te irritar, mas prontos...

Prof. Bambo said...

Pensava que o Mário Soares na escola tinha sido burro que nem uma cabaça e que tinha chumbado 3 anos na secundária...
Boa Marito... ;)

Vanadis said...

Hitler e Cunhal...uma comparação um bocado injusta, não?...

E eu falei do comunismo enquanto teoria, ou melhor, utopia. Não enquanto prática. Porque na prática é uma grande treta. Tal como eu disse, no papel, ou no écran, é tudo muito bonito.

E será que foi mesmo para nosso bem?...É só isso que posso dizer: "Será". Porque não sabemos como teria sido se Cunhal chegasse a implementar o comunismo. Estalinista, sim, mas assassino, ditador, hitler, saddam, mao, pinochet, etecera, será ele apenas mais um nome a acrescentar a esta lista? Eu queria acreditar que não. Mas não sabemos como seria, por isso, valerá mesmo a pena discutir o "se isto ou aquilo?"...

Quanto ao "para nosso bem", prontos, é assim...mas que rico bem este...

Vanadis said...

Bem, o Mário Soares diria que a culpa foi do Salazar. O Cavaco acha que a culpa é do Mário Soares. O Guterres culpa o Cavaco. O Paulo Portas e o Durão culparam Guterres. E agora o Sócratas dirá que a culpa é de Durão e Santana. Ou seja, a culpa é de todos e de nenhum. E entretanto, os Tugas têm de sobreviver nesta República das Bananas que, curiosidade, é a mais pobre da união europeia e com maior némero de desempregados. Foi tão para o nosso bem que os pobres ficaram mais pobres, e os ricos mais ricos.
O comunismo, EM TEORIA, eliminaria todos estes raios de problemas. Todos teriam o mesmo, não haveria nem muito ricos nem muito pobres. Mas como vivemos no mundo real e presente, ou seja, no Mundo Capitalista, não há Teoria, por muito bonita que seja, que não passe de uma Utopia e que, na prática, seja uma grande treta. E isso aplica-se para todas as Teorias Políticas, porque nunca passaram disso mesmo, Teorias. A prática, essa, tem um nome: Capitalismo.
Portanto, olha, Profe Bambo, diz ao teu "protegido" que o melhor que ele faz é bazar de Portugal antes que o poço fique ainda mais fundo.

Ýé, hoje estou super-hiper-pessimista. Não há Cunhal ou Mário Soares que nos salvem. Se é que alguma vez houve!

Portem-se, que eu vou mas é comer uma tapioca polvilhada de canela... :-p

Apresentou demissão said...

Estranhei o comentário do Prof. Bambo quando se referia ao burro como uma cabaça, imediatamente deduzi que algo estava mal, logo, quando escrevi aos 16 anos, queria ter escrito aos 26, obviamente! E, pelo que sei, os estrategas são homens com muita maturação e que atingem um boa capacidade em geral por volta dos 40/45 anos, baseando-me no exercito português e na idade com que se podem tornar Generais pra decidirem então o que quer que seja. E quanto ao burro como uma cabaça, enfim, aos 33 anos acumulava uma licenciatura em Ciências Histórico-Filosóficas com outra de Direito, pesando o facto de durante este período (até 1957) ter sido preso 13 vezes pela PIDE, acho que ando a subestimar as cabaças.

Gosto apenas de deixar as coisas claras e redimo-me no erro da idade.

Não comparei o Álvaro a ninguém, porque nem sequer o podia fazer, nunca chegou a governar o que quer que fosse, nem a sua própria casa, deixando a família quase no limiar da miséria. A comparação, se é isto que se pode chamar, tem a ver apenas com o regime comunista, e os que conseguem governar assim, no caso e SE Álvaro tivesse governado assim, em todos os lugares do mundo que imperou o comunismo, o final foi idêntico, e a Vanadis só enumerou alguns, metade talvez. Ninguém me garante que Álvaro não era a excepção no mundo comunista, mas também ninguém me garante que eu posso viver até aos 120 anos pra me tornar no Homem mais velho do mundo.

O “para o nosso bem” tem a ver exactamente com aquele desfecho incontornável, em qualquer regime comunista, pura e simplesmente, não existe equilíbrio! Regime, tem o seu próprio significado e mais não preciso de dizer.

Certamente que nem de perto nem de longe a TEORIA comunista é perfeita, essa mesma teoria assume mesmo que é preciso brutalidade para impor autoridade para, isso sim, no final acabar tudo perfeito. Eu até posso acreditar isto, se pensar que morrer é o cenário perfeito para esse final, mas seria pra qualquer outro não? A não ser que ande ai alguém a gostar de levar uns açoites, pra depois fazer as pazes e acabar tudo bem. Também seria Utopia, pois o rabiosque estaria certamente dorido.

A escolha nessas sucessões foram todas nossas, e quanto ao último, já se sabia de antemão que não seria excepção.

Prof. Bambo said...

O facto de eu ter dito que o Mário Soares chumbou na SECUNDÁRIA - o que ele próprio disse numa entrevista a uma edição da "Visão" do ano passado - não significa que o homem seja burro, pois é obvio que sei que ele não o é.
Foi uma expressão em jeito de brincadeira, como são, aliás, quase todos os comentários, de acordo com aquilo que eu acho que é o espirito deste blogue.
Longe de mim querer ferir susceptibilidades. E folgo em saber que o Mário Soares ainda tem defensores acérrimos que saiem em sua defesa...
Ouvi dizer que o "Jornal de Letras" e o "Independente" andam à procura de comentadores para assinarem as suas rubricas semanais...

Prof. Bambo said...

Um comentário um pouco "provocador" mais isto hoje não me está a correr nada, mas mesmo nada, bem!
Fdx!Merda de dia!Para esqueçer...
Já devia ter aprendido que as pessoas não têm culpa das nossas frustações...

Vanadis said...

Mas os dias que se seguiram foram melhores, né? Eu cá tive um fds muita fixe...mesmo tendo ganho a medalha do ultimo lugar numa corrida de karting em évora...lololololol...borrei-me toda de medo e acabei por não entrar na competição!... :-( =D

ganda said...

Quando o portatil vier do "mecânico" eu faço um post sobre o fim de semana na "horta do sobral"!
Que inclui é obvio a "prova" Kart!!

Vanadis said...

=D Vão todos gozar comigo...bem, pelo menos não me espetei contra nada...àquela velocidade era impossível...=D