Tuesday, February 26, 2008

A ciencia....

Momento de reflexao..................... Ok Já chega.

A ideia deste post surgiu depois de ver o "status update" do nosso compatriota JoniOzzie na sua pagina do facebook.

O status dizia "Joao Fidalgo prefers toilet cleaning to science".

Um desabafo natural para quem faz, ou tenta fazer, ciencia.

A verdade é que é mais do que comum ouvir, ver, ler pessoas que estao envolvidas em ciencia, pessoas que gostam (gostavam) de ciencia, queriam fazer ciencia (podia continuar por aí fora) a dizerem-se desapontados, desencantados, mesmo fartos da e com a ciencia.

Quais serao as razoes? estariamos (sim eu sou um deles) todos enganados na altura da escolha? será que tivemos escolha? digo isto devido á conjuntura da ciencia no nosso pais, que acaba por fazer com que no geral o universitario esteja desinformado das reais oportunidades. E é este universitário que depois de varios meses no "deserto" se ve "obrigado" ou compelido a aceitar a primeira coisa que aparece pela frente?

Nao temos verdadeira escolha em Portugal no que diz respeito a saídas, especialmente porque as saidas que existem fogem daquela ideia romantica que nos levou a fazer ciencia (salvar o mundo com conhecimento).

Talvez o grupo onde estamos, nós os cientistas desapontados, nao sejam estimulantes, e nao estimulam para o/a salutar continuar/progressao da investigacao. Talvez o projecto e o trabalho que o envolve seja afinal distinto das preferencias cientificas de cada um. Talvez a vida envolvente, a tao importante socializacao, seja deficiente. Talvez a ciencia nao preencha a alma e a mente da mesma maneira.

As alternativas comecam a aparecer no pensamento. Um colega de laboratorio, 29 anos, doutoramento feito a caminho do segundo ano de post-doc, casado, com filho recem nascido, casa propria, cuja mulher é Médica de Medicina Geral (que pode atingir um ordenado de 100000 libras ao ano no topo da carreira) dizia-me á tempos que estava a considerar alternativas a esta carreira e que provalmente ia aprender a ser canalizador...

Será tarde? será tarde para a esta altura da vida aprender outro oficio? Quais serao as vantagens e desvantagens?

será que aos 29/30 ja seremos velhos para mudar? mas se nao mudar-mos o que é que nos espera? uma velhice de consternacao resignada?

ao fim e ao cabo sao as nossas escolhas...

O que voces acham?

17 comments:

ZP said...

Talvez aos 29/30 as idéias românticas se comecem a desvanecer e comece a saber melhor a estabilidade de um emprego com direitos e com ordenado sempre certo ao fim do mês. E afinal de contas quem tem mais direitos, um profissional de "toilet cleaning" ou um investigador?

ganda said...

Nao queria levar para a estabilidade.
Estava mais a falar mesmo no desencanto, do tipo "estou farto de limpar retretes, o que eu gosto é de limpar vidros ou carpetes".

Os direitos temos que os fazer e nao contar com eles para nos salvar o pelo.

Muitos de nós passamos muito tempo a sacrificar um qualquer oficio na esperanca de encontrar um lugar para prosseguir os estudos, quase sem olhar para o lado.

foi uma das perguntas que me fizeram quando vim á entrevista, o porque de continuar no laboratorio sem ter um "trabalho", um emprego para por comida na mesa, para pagar as minhas dividas. A resposta? Eu disse-lhes, felizmente tenho um pai generoso e com a possibilidade de me sustentar e porque nao queria fazer outra coisa que nao fosse continuar em ciencia. Sacrificios. Que ingenuidade minha. ahahahah.

Duarte Molha said...

Pois é...Eu estou tb desapontado com o estado da Ciencia... ate mesmo aqui no reino Unido.... A ciencia deixou de ser importante... a qualidade do que fazes n é tão importante quanto a quantidade de artigos que publicas... contractos anuais renovaveis sem seguranca á vista e salarios muito pouco competitivos com o mercado de trabalho fora da academia.

N é por acaso que a grande maioria dos estudantes daqui nem sequer encaram a possibilidade de fazer um doutoramento... a esmagadora maioria dos estudantes de PhD são estrangeiros.

E a escolha é simples para eles... continuar a estudar e n ter nenhuma sequranca no emprego ou ir para o mercado de trabalho e ganhar 20000 libras por ano...

Em Portugal essa escolha n é tão obvia porque recem-licenciados n tem um futuro brilhante a sua espera... para a maioria e tempo de voltar para a casa dos pais e aceitar trabalhos mediocres para os quais nem sequer necessitavas ter ido estudar...

Acho que é isso que leva muitos de nos a abandonar o nosso Pais.

R. C. M. said...

Olá:)
A discussão está interessante.
Eu tenho 31 anos, e continuo a sonhar e a adorar Ciencia. Começei com 26 anos a trabalhar numa área que apareceu e que passei a gostar, área alimentar. Depois saltei para o ramo da química analitica e pelo mei fiz um curso de empreendedorismo. Depois voltei a saltar para o ramo da toxicologia. E agora, só agora (5 anos depois), é que vou começar a trabalhar no sonho de sempre: a área de interface entre a farmacologia e o Cancro.

Não estou desiludida! Pelo contrário, sinto-me cada vez mais apaixonada pelo que faço, pelo inicio da aprendizagem, pelas perguntas e pelo entusiasmo de confirmar ou resolver em respostas as duvidas que surgiram.

Vejo pessoas a sairem e a fazerem spin-offs, e espero daqui a alguns anos fazer o mesmo (terei 35 anos? talvez). Vejo pessoas novas (com 30/31 anos)a progredirem na carreira (a voltarem para Portugal), a serem lideres do laboratório e a conseguirem demonstrar que a mudança de mentalidade na Ciencia em Portugal começa a ter Sonoridade.Outras pessoas na casa dos 30 anos, já lideres de laboratórios, trabalharam para agora formar equipas e já mostram resultados em pouco tempo!

Não me considero velha com 31 anos, e ainda estou no inicio da carreira!!! Para mim o saber rejuvenesce qualquer um.

É necessário publicar! Não tenho duvidas que qualquer trabalho que se faça, tem de se publicar! É importante desenvolver projectos com o intuito de progredir! As perguntas tem de levar a algumas respostas e a muitas outras perguntas, e por isso faz todo o sentido a Publicação e as Patentes.

A questão que considero que pode estar na origem de muitas desilusões, é exactamente a estabilidade...ter filhos, casa para pagar e muitas outras responsabilidades inerentes a uma familia...

...Em suma, parece-me importante nunca desistir do sonho que nos move a curiosidade...sem sonho e com desilusões, o mundo arrisca-se a perder Mentes brilhantes que podem fazer mudar as mentalidades com uma descoberta mesmo à espera de todos nós.

Fiquem bem!

Boa discussão!

Dédinha said...

Boa Rita!!!

Parabéns e boa sorte.

Vanadis said...

Eu acho que és um macaco de imitação ... :-p

Vanadis said...

Bem, ao menos alguém que não esteja desapontada e desiludida, fico contente por ver que ao menos há alguém no oceano dos desiludidos. Eu estou desiludida. odeio a ciencia, detesto laboratorio e, honestamente, preferia ir lavar retretes. Tenho dito. :-p
Ao menos chegava ao fim do mes com um ordenado fixo e não estava para aqui a adiar o meu futuro com mestrados da treta.

joana said...

Se não acreditares no que fazes, ninguém vai acreditar por ti, e o melhor é lavares retretes mesmo porque é nisso que acreditas, hehehehehe.

Ânimo!

Força!

Dédinha said...

Já diz a música...

"muda de vida se
tu não vives satisfeito,
muda de vida,
estás sempre a tempo de mudar..."

Anonymous said...

A ciencia, e mais concretamente a investigação cientifica, em portugal é uma mera utopia.
Não sei como se passa nos outros países, mas neste cantinho á beira mar plantado, é o que me parece.
Estamos demasiado ocupados a olhar para o nosso próprio umbigo, a resolver os problemas do dia a dia para tentar não cair na crise generalizada que o nosso país atravessa.
Sendo assim não olhamos para as soluções para este factor que estão mesmo á nossa frente: Apostar na inovação e competividade dos jovens portugueses, apostando na sua especialização.
preciso dinheiro, e sem uma politica a longo prazo de um governo, nunca existirão fundos para a investigação em Portugal.
O problema é que para tal, é preciso dinheiro e o que ganha eleições são as pontes e as auto-estradas.
Quem tá no poleiro, não quer correr o risco de sair de lá, pq a coisa está feia...

A ciencia em portugal nunca será rentável, a não ser que seja um laboratório portugues a descobrir uma grande cura, para um cancro, ou qualquer coisa parecida. Tudo o resto acabará no esquecimento, e acabará por sofrer o denominados "cortes orçamentais".

É o país que temos, da cerveja, praia e futebol.

ganda said...

Eu nao considero a ciencia utopia em portugal. Os meios sao mais escassos mas a investigacao de qualidade existe.

Nem é isso que está em causa. Eu tambem adoro ciencia e fico entusiasmado com determinadas coisas. Eu pessoalmente talvez tenha escolhido o meu caminho de vendas nos olhos e provavelmente será daí que vem a minha falta de entusiasmo. Por outro lado sei que sou o maior responsavel pelas minhas escolhas, embora nao faca todas as decisoes, por isso é que nao abandono o barco.

No fim tudo enriquece. Eu pessoalmente julgava-me uma pessoa com um conhecimento da ciencia relativamente abrangente antes de comecar, agora ainda alarguei mais. A questao é que eu nao me vejo no futuro a fazer "esta" ciencia, pelo menos nao comigo ao microscopio (ahahahah).

Em relacao á estabilidade, nunca tive falta dela. Ok, nao tenho filhos ou casa para pagar.

Mas a vida profissional é como a terra onde vives. Concerteza conhecemos pessoas que nasceram e viveram quase sempre no mesmo bairro e nem sequer ambicionam viver numa cidade diferente... Outros nao querem sair do algarve, alentejo ou minho...

Mudanca, experimentar, sair do "confortavel", arriscar.

Eu sempre achei que a ciencia seria o caminho a seguir devido a minha facilidade de aprendizagem durante a escola. Sempre achei que deveria seguir aquilo que parecia mais dificil porque era o desafio que tinha. Mas pensando assim talvez tenha deixado de lado outras saidas que me poderiam "preencher" mais, com desafios mais praticos e aplicaveis, como uma engenharia, ou qualquer coisa mais criativa.

Sei lá.

RedFox said...

"O bom não é não ter o q fazer, mas ter tudo pra fazer e não fazer nada"

Joao said...

A ciencia é um metodo/actividade/disciplina/estudo. Acho que o problema da desilusao, desencanto etc é causado por se concentrar na tecnica e nao no objectivo. Se passarem a vida toda a desenvolver e especializar uma tecnica e nao saber responder "para que" instantaneamente, existe um grave problema.

Se definirem o objectivo final (dinheiro, ego, conhecimento para abrir uma empresa, etc) facilmente podem analisar se estao no caminho certo ou nao. Se nao, recomendo que acertem o caminho o mais brevemente possivel. E mais, se restringirem as escolhas ao que estudaram (que é um mundo minusculo) podem cair no fosso da desilusao perpetua.

Infelizmente qualquer mudanca é inconfortavel e arriscada. É necessario uma forca de vontade bastante grande. A tendencia natural é acomodar-se.

Ganda: deixo este link que achei giro

http://www.youtube.com/watch?v=c6KVHMU3gb8

Boa sorte a todos. It is wild out there :)

JD

Botas said...

Ola a todos,
peco desculpa por so me juntar 'a conversa agora... afinal de contas fui eu o autor da frase que serviu de premissa para esta reflexao do Ganda.
Antes de mais queria dizer que na altura que escrevi aquela frase no meu status do facebook estava completamente desapontado com ciencia, nao e' que agora esteja muito melhor, mas nesse dia tava mesmo fodi@$... Passar quase 3 anos a desenvolver um modelo knock-out de um gene em ratinhos e depois desse tempo todo descobrir que nao ha fenotipo e' MUITO frustrante! Ate pode ser que haja fenotipo, mas a haver e' bastante menos evidente do que pensamos e vai dar muito mais trabalho para descobri-lo... e trabalho e' tempo e isso e' coisa que eu nao tenho muito... De certa forma pensei que tinha perdido 3 anos da minha vida para nada...
Mas o mais engracado foi a resposta que uma amiga minha, cientista tambem, deu ao meu desabafo desse dia acerca de eu preferir limpar retretes a ciencia. A resposta foi: "Me too, at least in toylet cleaning the results are reproducible..." Haha!!!
Eu acredito que em Portugal, pelas condicoes serem, de um modo geral, piores para "cientificar", os niveis de frustacao serao mais elevados, mas digo-vos que e' um sentimento comum a muita gente por todo o lado. No meu caso do meu laboratorio acho que e' quase impossivel ter melhores condicoes do que as que tenho e mesmo assim sao bem mais os que me dizem que percebem que ja estao fartos disto dos que aqueles que estao entusiasmados para continuar...
Eu ainda gosto muito de ciencia, mas so de vez em quando... a jeito de exemplo, antes gostava de ciencia 6 dias por semana, mas progressivamente esse numero foi diminuindo e agora deve rondar os 2 dias por semana... Mas o pior e' que prevejo que so' vai piorar e duvido que algum dia volte aos 6...
Ha uns tempos tive um "PhD student Retreat" com uma serie de workshops focados especificamente nos problemas que enfrentam os estudantes de PhD. Um dos workshops foi feito por um bacano escoces que trabalhou muitos anos em ciencia e que que mudou completamente de carreira para se tornar um "motivation speaker". O workshop foi praticamente todo focado em carreiras alternativas 'a ciencia depois de fazer um PhD. Basicamente ele fez-nos ver a quantidade de areas completamente diferentes em que podemos empregar o conhecimento e as "habilidades" que adquirimos. Ele motivou-me bastante pois, de certa forma, ajudou a perceber, com varios exemplos reais, que mesmo que o PhD nao corra tao bem em termos cientificos, nao deixa de ser uma "escola" de muitas outras habilidades que podem ser muito facilmente adaptadas e transportadas para muitos outros tipos de trabalho.
Para mim o exemplo mais fixe foi um que ele deu, assim meio em brincadeira, de um estudante de PhD chamado Jorge Cham (que por acaso uns meses depois desse workshop veio falar aqui ao Instituto por convite da associacao de estudantes). Este bacano duante os "tempos-livres" do PhD comecou a fazer cartoons sobre o dia-a-dia de um estudante em ciencia. O pessoal comecou a gostar e a enviar por mail aos amigos e aquilo que comecou por uma brincadeira tornou-se num site visitado por milhoes e ele agora deixou a ciencia e viaja o mundo a fazer apresentacoes publicas acerca dos seus cartoons. Digo-vos que foi das cenas mais comicas que assisti ao vivo na minha vida. Foi tipo um show de standup. Demais! Se tiverem oportunidade nao percam. Ja agora o site dele e' http://www.phdcomics.com.
e no youtube vejam:
http://www.youtube.com/watch?v=I_YUR6fgWrQ&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=qTfQ9Dvk_fs

Desculpem pelo loooongo comentario, mas e' para compensar o tempo da minha ausencia aqui no blog da malta.
Abraco e beijinhos!

(ja' agora se quiserem espreitar o meu blog cliquem no link que o Ganda adicionou, e' o botas d'agua, a playlist tem muita saida!)

A Grafonola said...

Ena, eu tb gostava de ser cartoonista...se tivesse o dom do desenho LOL! E workshops motivacionais. E comunicador de ciência. Mas, aqui, em Portugal, esquece...

Pra já sou daqueles que enchem o papo à universidade com propinas. Qd acabar o raio do mestrado (pois trabalho em part-time, senão dava em doida), adeus. Tou mesmo farta. Da Ciência, da mentalidade da comunidade cientifica, da mentalidade "os pais pagam!", da instabilidade, da falta de motivação, da mesquinhês, das guerrinhas pessoais dentro dos próprios departamentos, que fazem, por exemplo, que uma arca de -80 esteja há um ano à espera que lhe paguem o arranjo (pois ninguém quer pagar...). Ah e sabias que, agora, na fern, tens de pagar para usar a ultracentrifuga?? A única ultracentrifuga do algarve???? 15 euros por hora!!... desculpa, mas como raio se pode fazer ciencia num local que só se preocupa em fazer dinheiro às custas dos outros (normalmente, dos que estudam) e que coloca entraves a tudo devido a egos demasiado elevados que em vez de colaborarem, só inventam mesquinheses uns contra os outros?...

Não é só a instabilidade. É a própria mentalidade daquele local. Agora, dir-me-ão, então, muda de local. Sim. Mudo. Para onde?... Tenho trinta anos. Toda a minha vida foi construida aqui: casa, companheiro (que ainda agora aceitou um novo emprego promissor, ao menos ele), estrutura familiar... ir para outro sítio é abdicar de tudo isso. Sabes? Prefiro ir para parideira e pronto.

A Grafonola said...

Especialmente agora que esta malta aqui vai quase toda ser mamã e papá!! ;-))) (não, eu não me incluo nessa malta...ainda)

Anonymous said...

pois...sendo assim, nada se pode fazer...as escolhas são nossas, e devemos viver com elas...
abraço