Thursday, January 20, 2005

Não há almoços grátis!!!

Portugal, é tempo de te deixares de choradeiras, não achas? Esta conversa de crise, de futuro comprometido, do fim do Estado- -Providência, já começa a enjoar. Já chega de lamentações patéticas, intercaladas por balofas exuberâncias. Está na altura, meu caro Portugal, de deixares de ter pena de ti mesmo, de largares o sofá da conversa, arregaçares as mangas e enfrentares a vida como ela é. As crises são para os homens.

Ninguém tem paciência para te aturar mais chorinquice. Aliás, tens de reconhecer, esta crise até nem foi nada de extraordinário. Não se justifica tanta lamúria. Confessa que ela foi mais uma ressaca que uma verdadeira depressão. Apanhaste um pifo de euforia e dívida, e agora dói-te a cabeça e tens de pagar os estragos.

Emborcaste grades de subsídios, apoios, benefícios, incentivos, sem reparar que é com o teu dinheiro que te dão isso. Gastaste anos com parvoíces, como o aborto e a regionalização; deitaste-te tarde a ver a ficção dos reality shows.

Depois admiras-te que os parceiros te passem à frente e não tenhas produtividade. Acreditaste nos que te falavam em reduções de horário de trabalho e salários europeus, sem ver que esses países os têm porque trabalham muito para o conseguir. Quiseste fazer estádios e andar nas ruas a abanar bandeirinhas.

Agora acordaste. Choras com a crise e temes pelo fim do desenvolvimento. Assustas-te com os chineses e pões luto pelos têxteis. Temes perante a globalização e desanimas com o atraso na convergência. Sentes-te desorientado e perdido.

É incrível como acreditaste mesmo a sério nos muitos que te diziam que tinhas direito a tudo, sem nunca te falarem nos deveres ou explicarem como se pagaria. Nem sequer suspeitaste quando os viste a espreitar para a tua carteira. Caíste que nem um pato na maior das ilusões, o Orçamento do Estado, que dá tudo a todos, desde que todos lhe dêem antes. Comeste um grande almoço e ficaste surpreendido com a conta.

Não sei se já te disseram, mas não há almoços grátis!

É incrível como voltas a dar ouvidos aos mesmos que agora te dizem que não tens capacidade de trabalho e espírito empresarial, que não suportas horários nem respeitas a disciplina. Então recomeça a choradeira, dos analistas de café à reportagem de jornal.

É incrível como voltas sempre às desculpas estafadas. O Governo é mau? Olha que novidade! Mas desde o D. Fernando são todos maus. E os poucos que foram bons, nunca o reconheceste; limitaste-te a ter saudades, depois de dizeres todo o mal que podias durante seu mandato.

Os tempos estão difíceis? Olha que espanto! Desde o Noé que não são fáceis. São os homens que fazem os tempos, sem esperarem por ajudas. A vida é dura? Vê lá a grande surpresa!

Deixa-te de mariquices e toca a andar! Está na hora de esqueceres as desculpas e demonstrares aos que falam que sabes fazer coisas úteis. Não esperes previsões favoráveis. Não contes com estratégias e políticas salvadoras. Está na altura de trabalhar e lançar projectos, poupar e investir, encontrar clientes e fazer bons produtos para lhes vender. Fazer aqui e agora, onde há oportunidades. Como puderes, como souberes. FAZ! Como sempre soubeste fazer.

Não por ti, meu caro Portugal, mas pelos portugueses. E deixa dar--te uma novidade não há cá mais ninguém. Só tu, Portugal, podes fazer o desenvolvimento português. Mais ninguém. Os outros falam. Tu ainda cá andarás depois de eles se calarem.



Texto de João Cesar das Neves (Economista e prof. Universitário)

6 comments:

Vanadis said...

Ganda, espectacular...snif, snif!

Portugal, que tal se abrires os olhitos e tirares a areira que deixaste cegar-te? D.Fernando não volta, e Noé não te constrói Arca nenhuma...MEXE-TE!

ZP said...

Muito bem dito! Só acho que o aborto e a regionalização foram ali metidos a martelo...

Vanadis said...

Olha que não sei, ZP. Afinal, perdeu-se mesmo imenso tempo com essas "temáticas".

O País precisa de uma reviravolta, mas de uma das grandes. Não é ir às urnas e votar PS, já que na vez anterior votou PSD, e na anterior PS, e antes PSD, and so on...notamos aqui uma tendência???

Entre o PS e o PSD venha o diabo e escolha. Penso eu de que. Notam alguma diferença entre os dois? Eu não...e até hoje ainda não consegui perceber quais são, afinal, as ideologias de cada um, os projectos e planos de cada um, porque passam mais tempo a criticarem-se, insultarem-se e a inventarem promessas do que a revelarem um plano de Governo concreto...

Uma reviravolta grande passa por um novo partido no poder, a meu ver. Destes todos, só o Bloco de Esquerda me parece ter vivacidade e vontade de mudar. Mas experiência para governar, não sei não...mas também, quem não arrisca não petisca! Precisamos de ideias frescas, novas, acções! Não de Furões Barrosos nem de Santanas Lorpes...

Precisamos de empregos, saúde, educação. Precisamos de políticos competentes e com ideias novas, radicalmente diferentes. Isto é inquestionável. Mas é como diz o texto, mesmo que um dia venhamos a auferir de um Governo competente, o português nunca se dará por satisfeito e terá de sempre de clamar que isto está mal e que antes é que era bom.

Portanto, parec-me óbvio que não é ´só o Governo que tem de mudar. O próprio Zé Povinho tem de fazer um revisão geral à mentalidade e, porque não, um lifting total às ideias retrógradas e ultrapassadas que tende a ter. E a aprender que a culpa nem sempre é só dos outros...

Por mim, para mudar mentalidades, nada melhor do que dar forte e feio na Educação. É no educar que está o ganho...

Mas podemos sempre ser mais radicais...um programazito de clonagem controlada pelos valores da eugenia e voilá, contemplem um Admirável Mundo Novo...muahahahahahahah! (esta última parte tinha mesmo de dizer, como bioquímica que acho que sou...muahahahahah!)!

Vanadis said...

Ah, esqueci-me de mandar um bitaite...o PPzinho está a ficar muito espertalhão, agora assumem-se como uma forte alternativa ao PS e PSD e, infelizmente, se bem conheço o Zé Povinho, hão-de-se esquecer as reais ideias do Sr Paulo Portas (controlo absoluto, aborto não, homossexuais não e nem quero imaginar mais quê...retrógrado até dizer chega) e ir-se-á pela moda das aparências. Como o PP ánda a jogar bem o pocker da campanha eleitoral, não sei não, mas ainda ganham vantagem eleitoral.
Espero sinceramente que o Sr Paulo Tortas não se sente nunca na cadeira de primeiro ministro...o oráculo não tem augúrios nada bons para essa 5a dimensão...

Vanadis said...

Xiii...tão?? Só eu é que amando bocas??? Vá, força!!! Contradigam-me!!! Concordem comigo!! O que quiserem!!! Falem, falem, falem!!!!!!!!!!!!!!

:-))))))))))))))))))))))))

Ps- qd puderem e quiserem...claro!

Apresentou demissão said...

Se keria protagonismo, sr. Professor, conseguiu.
Houve gente que até leu tudo!
Mas que m**** de dizerem que só Portugal chora isto e chora akilo....alguma vez tiveram lá fora? Toda a gente chora, toda a gente critica governo, toda a gente critica atitudes deste ou dakele responsavel... Aki na china ou nos E.U.A. Não é Portugal ou a mentalidade dos portugueses, lá fora tambem passa Big Brother e tambem é visto! Em Portugal como no resto do mundo as pessoas choram, mas no outro dia vão trabalhar na mesma, vão estudar na mesma, ninguém (exepção a pessoas em que estar tudo bem ou tudo mal é igual) fica a chorar e falta aos compromissos!

Agora, esta mensagem que este fulano mandou foi pra kem?? Pra mim não de certeza...é parvo ou kê? Eu ando pra frente mas aponto o dedo a kem fez mal as coisas, mesmo sendo apenas pra n voltar a cometer esse erro!

"...Mais ninguém. Os outros falam. Tu ainda cá andarás depois de eles se calarem."

Mas que outros?? este homem além de pensar que é especial tem agora a mania da preseguição??

Afinal todos choram...mas uns mais que outros...deve ser isso...já agora sr. professor...tome lá um lencinho pra enxugar essas lagrimas.... palhaço...