Monday, October 31, 2005

O calcanhar de Sócrates

O facto é chocante e dá que pensar. Portugal tem mais 250 mil funcionários do que a Inglaterra apesar de ter cinco vezes menos habitantes.

Cavaco Silva, já depois de ter sido primeiro-ministro, disse um dia, para escândalo geral, que a única forma de o Estado se ir livrando deste sorvedouro de impostos era esperar que os funcionários fossem morrendo. Despedi-los era sobrecarregar a Segurança Social, reformá-los era lançar mais pandemónio no já frágil sistema. Cavaco esqueceu-se de acrescentar que muitos dos milhares de funcionários que entraram para os quadros no governo do engenheiro Guterres tinham sido contratados a prazo no seu tempo de vacas gordas, isto é, quando o défice chegou a atingir 9 por cento.

Tudo isto me lembrou um amigo que há 15 anos trabalhava, e continua, numa repartição no Terreiro do Paço e me contou uma vez o seu dia-a-dia atribulado de funcionário público. Imaginem o furor:


«Chego às nove e meia à repartição, já com a tolerância de meia hora dada pelo chefe. Assino a entrada e a saída de ontem à tarde no livro de ponto. Ligo o candeeiro da secretária, penduro o casaco, ponho o rádio baixinho na Antena 2. Está-se bem. O ambiente de trabalho está criado. Posso ir tomar o meu pequeno-almoço e ler as últimas no Martinho da Arcada. Até às 10 e um quarto ninguém me vai maçar.

Volto à repartição, passo pelo gabinete do chefe. Lá vão umas bocas sobre o jogo de ontem à noite do nosso clube. Óptimo. O chefe está bem disposto, é um pândego cá dos meus. Continua a gostar da minha cumplicidade futebolística e para o ano há promoção com diuturnidade. Esta ninguém ma tira mesmo que a gente perca o campeonato!

Já recomposto deste início de manhã infernal, sento-me finalmente à secretária. O tempo voa . Já são 11 e um quarto. O melhor é aproveitar para fazer umas chamadas. Ligo o zero. Peço à telefonista linha para uma chamada de serviço. Faço algumas chamadas pessoais mas isto de ter de trabalhar e de resolver os meus problemas é uma maçada. O melhor é que já passa do meio-dia, o chefe já desceu para a cantina e eu tenho de me pirar. Se não aproveito a hora de almoço para mim quem a há-de aproveitar? Regresso às duas e meia. Assino a saída da manhã e a entrada da tarde já com a meia hora de tolerância da praxe. Que seca!

São quase três horas. A fome aperta. Agora, que já cá estou, posso ir almoçar. Nunca falha! Isto de poder comer com o ponto assinado é um descanso. O pior é que quando chegar à secretária depois das três e meia vou ter de inventar qualquer coisa para trabalhar. Um problema para hoje vinha mesmo a calhar e amanhã já tinha que fazer. É assim que se mantém viva a chama do trabalho!

Entretanto já são quatro e meia. Vou distrair o chefe com mais umas bocas e piro-me. Não me pagam para fazer horas extras. Uff! O que vale é que para a semana há feriado com ponte. Colo um atestado a estes dias e dá para ir de férias na boa para um sítio onde ninguém me possa encontrar a passear de baixa.»


A história não é inventada e esse meu amigo continua a trabalhar, desculpem, a ser funcionário na mesma repartição.

Há dias convidou-me para tomar café às nove e meia (estão a ver porquê) no Martinho da Arcada. Em 15 anos, alguma coisa mudara. Já tinha computador e banda larga no serviço mas a desilusão tinha-se instalado. Tinha construído uma carreira com a reforma antecipada como meta. Agora, aquele «ladrão do Sócrates», ainda por cima em quem ele tinha votado, tirara-lhe o sonho.

À volta do meu amigo lá estavam os colegas que eu conhecera, agora muito mais velhos, cabisbaixos, derrotados da vida.

Nunca fizeram nada para sair daquela mediocridade mas a verdade é que também nunca ninguém se ralou com isso.


Luiz Carvalho in Expresso

27 comments:

Prof. Bambo said...

Eh pá..adorei essa história!
Mas agora não comento.Tenho fome.Vou almoçar.
Xau...

Vanadis said...

Coitadinhos, tenho tanta pena deles...têm uma vida desgraçadinha, sim sr...isto de não se fazer nopes no local de trabalho é uma desgraça pessoal,coitadinhos, que emprego tão desgraçado que arranjaram...

Tenham santa paciência!!!

Vanadis said...

Ainda não há uns dias estive nas finanças a ouvir um funcionário público barrigudo a ser idiota e pedante com os utentes (apesar do cartaz com os direitos do utente que tão bem afixado lá está).
E cagando-se para a proibição geral de usar telemóveis, atende para chamadas pessoais e queixa-se do imenso trabalho que tem (preencher umas folhitas para dar seguimento ao pedido de certidões), coitado, já viram a trabalheira...
E apesar de ter um utente para atender, caga-se para ele e mete-se na conversa com um tipo qualquer que entretanto se senta por ali e lhe conta como vai a vida.
Não satisfeito, ainda cobra nove euros pelo trabalho que vai ter a procurar tal certidão...
Uau, tenho tanta peninha dele...

Vanadis said...

Agora acho que já posso fazer a minha apreciação ao governo do Dr Sócrates: vade retro, idiota.

Mas prontos, realmente o que é que ele pode fazer...si9nceramente acho que o problema é tão profundo, tão profundo, que só uma revolução geral e funda nas mentalidades e processos de fucionamento de TUDO em Portugal irá levar-nos para a frente.

Quanto ao aumento da idade da reforma, é uma idiotice pegada. É, aliás, o caminho mais fácil. Uma vez que a população está envelhecida e há cada vez menos jovens. E em vez de tomar medidas para empregar decentemente os jovens de agora, só lhes tira oportunidades ao aumentar a idade de reforma. E em vez de tomar medidas para ajudar as famílias e fomentar a natalidade, não, aumenta-se a idade de reforma...
Só por curiosidade, sabiam que um pai solteiro ou divorciado pode descontar muito mais nos impostos,por filho, do que um pai casado? Onde está o fomento da natalidade? O apoio às famílias? O apoio à maternidade e paternidade? E depois admiram-se que se tenha de aumentar a idade de reforma. Pudera. Este é um país envelhecido...

Tão envelhecido que os nossos candidatos à presidência são caras já mais do que conhecidas e respeitáveis dinossauros. Não há lugar para pessoal fresco, diferente, novo.

Este é o nosso Portugal.

ganda said...

Não sabiamos já todos que era assim? Desde sempre ouvimos falar de "função pública" como "emprego" e não como "trabalho"...

De quem é a culpa? A culpa morre sempre solteira...

Oprichnik said...

Não é surpresa alguma... Podia ser uma história de qualquer repartição em qualquer ponto do país. Esta moda do bota abaixo o funcionário público... tem alguma razão de ser, mas... convinhamos que não é bem assim, e não é tão linear, trigo limpo farinha Amparo... Os professores são funcionários públicos creio eu... e desde que nasci que vejo a minha mãe a trabalhar e não é pouco... o meu pai é tesoureiro numa Câmara e muitas vezes tem de ir até à meia noite fazer serviço e ninguém lhe paga horas extras.
Portanto... o que quero dizer é que não é tão simples quanto isso, é fácil imaginá-los todos barrigudos a comer uma empada ou um pastel da nata... obviamente que muita gente calona tem de sair do sistema. O mal creio que não são as pessoas que lá trabalham mas sim as corporações sindicais que têm peso a mais neste país e são responsáveis pela inércia.

ganda said...

Talvez tenha generalizado demais, e é obvio que se todos os funcionários públicos fossem como o individuo descrito no post, o país estava parado (não falta muito), mas isto para dizer que concordo com a não linearidade da assumpção...

O mais provavel é teres posto dedo na ferida, quando mencionaste os sindicatos... Ai o 25 de Abril...

Mas que aquilo que foi escrito não é novidade nenhuma, isso não é... Grande parte é devido à "chico-espertisse" (esta tem direitos de autor do jorge coroado) da pessoa que orquestra as coisas dessa forma, mas a facilidade com que se pode fazer essas coisas é incentivo para que até os menos espertos, ou os que apenas têm esperteza para isso, também o façam..

Ninguém gosta de comer por parvo, e se tu visses o teu colega de trabalho orquestrar um esquema assim, e tu levasses com o trabalho que ele não faz, o mais certo é começares a pensar fazer o mesmo... :S

A a politica do "amor com amor se paga" "olho por olho, dente por dente" "ahhh eu também quero" "o ar é de todos" e frases do estilo...

Apresentou demissão said...

Por acaso...os funcionários públicos são todos assim, excepto os que eu conheço, estes, fartam-se de trabalhar...
Como o sôr Ganda sabe,já trabalhei na função pública... deixei pra vir estudar... mas recordo com saudades as melhores "férias pagas" da minha vida... e se tentasse trabalhar mais depressa, havia ainda alguém que me olhava de lado, e que me perguntasse: "Não te importas de deixar algum trabalho para amanhã?"

Pra não falar das horas extras que ainda me lembro.. a 1ª era paga a 75%, a partir da 2ª era a 200%... havia sempre alguém mais "experiente" que tratava logo de informar os mais jovens, logo no 1º dia de trabalho de como as coisas ali funcionavam. Passadas as 8 horas de trabalho, sobravam, de alguma maneira bastantes reservas de energia, por isso dava sempre pra ficar ou voltar mais 3 horitas e ganhar nessas mesmas horas o que havia ganho nas tais duras 8 horas. O chefe, sempre confrontado com estatisticas semanais de responsaveis mais acima, tentava de vez em quando meter alguma ordem...

"Chefe?? Chefe?? Ele manda aqui alguma coisa? Manda tanto como eu ou menos!!! Faço já queixa dele ao sindicato! Eu estou velho e cansado...farto de trabalhar! Puta que os Pariu! Xulos... [voltando as costas, esbracejando, transpirado(apenas transpirava quando se zangava, repetia)]... São uma Cambada de Chulos!!! Chulos!!!

Lembro-me de estar a olhar pra ele, o senhor Magalhães, prepelexo, depois de o ter visto todo o dia a mandriar, com esta atitude... lembre-se o que chefe... o Vieira... na altura tinha dito uma coisa realmente desgradável e difícil de digerir para qualquer funcionario publico... é que nesta situação... só estavamos no bar há meia hora, até nem estavamos a fazer mal a ninguém, porque contavamos anedotas à vez, eramos 5, e estavam apenas 3 pessoas à espera pra serem atendidas... dass... que pressa...

Pois, tentei largar a mediocridade, tentar algo mais motivante... vamos lá ver é se daqui a uns 40 anos não me arrependo... é que as reformas da função publica .... e aqueles certificados de aforro... cenas que nem toda a gente sabe....

ZP said...
This comment has been removed by a blog administrator.
ZP said...

Obviamente que não era minha intenção ao colocar este texto aqui no blog colocar todos os funcionários públicos no mesmo saco. No entanto acho ridícula a onda de revolta que existe neste momento entre os funcionários públicos devido ao novo regime de aposentação. Os meus pais começaram a trabalhar bastante cedo no regime privado (o meu pai aos 10 anos de idade!), e tal como a maioria dos trabalhadores vão-se reformar apenas aos 65 anos. Porque razão a função pública teria que ter direitos diferentes e mais regalias?

Prof. Bambo said...

Havia um senhor que foi chefe(!) de finanças na repartição de Alcobaça, hoje reformado, que dizia aos funcionários neófitos que entravam no 1º dia que "o trabalho aqui não é para se fazer...é para se ir fazendo...!"
Portanto, um funcionário ao ouvir do próprio chefe e ao aperceber-se de como as coisas funcionam, "adere" ao sistema.
Agora concordo em absoluto com o que o Oprichnik diz em relação aos sindicatos.
Eles é que manobram isto. Toda esta tensão entre funcionários e Governo, greves, contestação tem uma origem...
Às vezes chega a ser vergonhoso a atitude destes senhores...

ganda said...

Ai o 25 de Abril...

Vanadis said...

Enfim...esperemos que venha a bonança depois da tempestade.

Vanadis said...

E já dizia o outro: "Roma e Pavia não se fizeram num dia."

Mas ao menos estavam a ser feitas...

ganda said...

ERA UMA VEZ...

... Quatro funcionários públicos chamados Toda-a-Gente, Alguém, Qualquer-Um e Ninguém.

Havia um trabalho importante para fazer e Toda-a-Gente tinha acerteza que Alguém o faria.

Qualquer-Um podia fazê-lo, mas Ninguém o fez.

Alguém zangou-se porque era um trabalho para Toda-a-Gente.

Toda-a-Gente pensou que Qualquer-Um podia tê-lo feito, mas Ninguém constatou
que Toda-a-Gente não o faria.

No fim, Toda-a-Gente culpou Alguém, quando Ninguém fez o que Qualquer-Um
poderia ter feito.

Foi assim que apareceu o Deixa-Andar, um quinto funcionário para evitar
todos estes problemas...

mail enviado pelo B.Pardelha

Apresentou demissão said...

... TODA A GENTE via o que se passava, ALGUÉM decidiu fazer alguma coisa, QUALQUER UM compreende e aceita, mas NINGUÉM na função pública gosta agora do Governo... DEIXA ANDAR, tem as pernas cortadas, como entrou agora, além de ter o aumento de salário e a subida na carreira congelados, apenas trabalha 6 meses + 1 ano menos um dia pra não entrar nos quadros.

Vanadis said...

Lolololol, ia eu agora mesmo meter a anedota....

Logicamente que haverão ovelhas puras no meio das ovelhas ranhosas.....mas infelizmente para as puras, o sistema é ranhoso...e ao fim de um tempo os ideais são postos de lado...

Vanadis said...

Que País estranho este...também receberam esse mail, sobre um País estranho onde um gaijo de 81 anos se candidata pela 3a vez à Presidência da república, passando por cima de um amigo de longa data (Amigos, amigos, negócios à parte...). E onde o único Nobel da Literatura (o outro Nobel era o da medicina, o Egaz Moniz, que "inventou" a lobotomia)vive no país ao lado (bem, eu também não gosto dele, lololol, sabiam que saramago é uma erva daninha?)...? E onde os indiciados por crimes podem ser presidentes da Câmara?...
MMMM...onde será que fica este Paraíso de burlões e charlatães?...
Amigos, a Função Pública não é a doença, é um sintoma...e um bode expiatório, se me permitem a ousadia... ;-)

ganda said...

Giro giro giro é aquele do da nomeação da assessora para fazer a manutenção da pagina do Ministério da Justiça

http://photos1.blogger.com/blogger/1223/632/1600/despacho22237.jpg

Vanadis said...

Caraças!!!!!!!!!!!! Viram o que a mulher vai ganhar para andar pela net o dia todo???????????????

Cada vez tenho mais vontade que venha um dilúvio.

O que será que a gaja é ao ministro.....??????? mmmmmmmmm.......

ZP said...

Certamente não vai andar só pela net, também deverá passar algum tempo de joelhos debaixo da secretária do ministro... :P

Vanadis said...

ROTFL

Era mesmo nisso que eu estava a pensar...será que depois vai escrever um livro sobre o assunto? E que se vai redefinir o conceito de sexo porque o ministro vai ao banco dos réus dizer que não manteve relações sexuais com a encarregada da manutenção da página?...Teremos um novo vestido manchado?

Não percam as cenas do próximo episódio de "É uma casa portuguesa" ou "Tudo em Família" ou "Nem o pai morre nem a gente almoça"!!

Vanadis said...

E entretanto, em Paris...pois é, pois é...ou muito me admira ou Portugal ainda lhes segue o exemplo... Bora?

Vanadis said...

Eu disse...Bora???

Sim, pah, tou a incitá-los, bora pá revolução!!! Será um novo 25 de Abril!!! Uma re-revolução dos Cravos!!

Revolução ao poder!

Revolução!!!

Revolução!

Manifestação!

Manifestação!

Levar porrada da GNR (a PIDE dos nossos dias...)!

Dar cacetada na GNR!!

Depôr o Governo!

Afastar os dinossauros!!

Que tal o Ganda para Presidente da República? Vota Ganda, vota Ganda!!

E o primeiro Ministro, quem se quer candidatar???

Eu quero a pasta do Ambiente e da Saúde!!! O Bambo podia ficar com a da Justiça!! Vamos criar a pasta da Bioquímica!!

E depois acordei............

Vanadis said...

Então, ninguém se quer revoltar????????????????????????

:-DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

ganda said...

Parece que não... Aqui és a única revolucionária... o resto de nós é tudo gente calminha... :P

Vanadis said...

Che Vanadis ao poder!! Che Vanadis ao poder! Se for eleita, prometo trazer a Revolução! :-D

Se for eleita, prometo acabar com as diferenças sociais!

Se for eleita, pçrometo que toda a gente terá um emprego e a ganhar decentemente!

Se for eleita, prometo bazar a inflação!

Se for eleita, prometo que se acabaram os indiciados por crimes candidatos a cargos políticos!

Se for eleita, prometo que as cunhas escandalosas acabaram!

Se for eleita, prometo abolir o Euro e instaurar a troca de serviços ao invés da troca de papel e metal!

Se for eleita, prometo que vai haver muita educação sexual nas escolas!

Se fopr eleita, prometo transformar Portugal no último reduto da verdadeira Utopia!!

E depois acordei e descobri que tinha sido rapitada por extra-terrestres...mas o que vale é que também descobri que tenho super-poderes de toda a espécie, graças a um implante orgânico extraterreno, e trago a Revolução para o mundo inteiro! O planeta Terra será então o Planeta Utopia!

E depois acordei outra vez...

:-DDDDDDDDD