Thursday, November 16, 2006

Referendo sobre o Aborto

Qual é a sua opinião sobre o Aborto? Não deixe de dar o seu bitaite.

25 comments:

Vanadis said...

;-p
Pessoalmente acho que ainda não houve tempo nenhum para se formular alguma opinião...mas até agora, pelo menos tem demonstrado coragem na tomada de medidas impopulares mas necessárias. Esperemos que tenha tomates para reformar todo o país (desculpem lá, mas vai com "p" minúsculo, porque de maiúsculo nada tem...)...

dedinha said...

X

ganda said...

como é que depois do post q fizeste sobre aquela great nation of Khazakstan, digo Portugal, agpra vens a dar um p pequeno ao País?

Olha eu acho que o Socrates é fixe! É desde que ele foi para o poder que me deram a bolsa, concidencia?

Vanadis said...

ei ei ei, leste esse post até ao fim??? no final, mandei todos ao bes ou arranjar pais ricos...era uma ironia!!! ;-p

qto ao sócrates, posso dizer o mesmo, não desgosto dele e desde a revolução que nenhum PM mostrava tomatitos. Esperemos que assim continue, até um dia mostrar tomatões.

Apresentou demissão said...

A minha opinião é que, desde Vale e Azevedo, que não via um líder de qualquer coisa, tão descaradamente mentiroso e manipulador de números.
A questão é que me deixei de preocupar com isto, quanto mais viajas e conheces novas realidades, e culturas, mais te apercebes da insignificância de Portugal e dos lideres fracos Portugueses.

Fique registado que a parceria com o M.I.T de massachussets não vem deste governo e muito menos do Senhor Sócrates, coisa, de resto, já alertada para a opinião pública apenas para os mais atentos, porque não vende, para já, para o jornal da noite (ainda não é hora pra mandar o Sócrates abaixo) pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, mesmo que ele queira levar os louros, aquando da apresentação da parceria, todo sorridente, estavam ao seu lado o senhor L. Rafael Reif que não tendo qualquer tradutor na altura do discurso, não percebe uma única palavra de Português, eu próprio falei com ele e tive neste projecto este dois últimos anos, na Univ. da Madeira, tendo inclusivamente feito, a prova de ingresso em Massachussets a 13 de Setembro deste ano, na Massachusetts Institute of Technology,usa, note-se que éramos apenas 5 Portugueses em 7.500 estudantes, e que também lá estavam 5 congoleses...

Já agora, a verba aumentou no orçamento de estado para a área das novas tecnologias em 63,7%, mas tendo em conta também, o investimento norte-americano com esta parceria, maioritariamente em maquinaria e componentes, ou seja, nem sequer este dinheiro fazia parte do nosso produto interno bruto.
Quanto às bolsas fico feliz por estarem a começar a ser pagas a alguns, de qualquer maneira ainda não recebi a totalidade do 1º ano, muito menos a totalidade do 2º ano e do terceiro penso receber lá pra 2015...

É naturalíssimo em Portugal estarmos sozinhos quando queremos ir mais além, é agoniante ouvir dizer que este governo apoia os jovens nas novas tecnologias, ainda mais ouvir concordar que nem sequer tem contacto com a realidade, 2 minutos de telejornal bem focado, cria uma consciência colectiva completamente falaciosa, mas ainda bem que a função pública teve 90% da actualização de hardware, agora não têm desculpas pra serem tão lentos..., pese embora trabalhem com software que arranca com um simples 386...

Como tal, fia-te nos tomates do primeiro-ministro e não corras...

ganda said...

Eu estou pouco preocupado de onde vem o dinheiro. Como voces sabem estou em Inglaterra numa universidade que é das que mais angaria financiamento privado para investigacao. Ainda assim eu oico todos a queixarem-se que o dinheiro é pouco, e que nos EUA é que é pq eles tem mto dinheiro.
Só quem é cego é que pensa que portugal compete com eles.
É de enaltecer pessoas que tentam remar contra a maré e com poucos recursos fazer o melhor que se pode/sabe e assim dar a sua contriubuicao. E diga-se que deve ser tipo 99% da comunidade cientifica de Portugal se comparar-mos com o UK ou 99,9% se comparar-mos com os EUA.

No fim o que a malta quer é copos!

Vanadis said...

Concordo com o Red Fox quando diz que é agoniante esta situação. Agoniante e agonizante. Se eu pudesse correr, até corria. Mas como não posso, olha, tenho de me agarrar ao que há.
E neste momento, só há o Sócrates, e ninguém me tira da ideia que ao menos este teve tomatitos para mexer na função pública (e quero lá saber do software) e no professorado (eles que me desculpem, mas classe priveligiada sempre foram, e apesar de tudo não deixaram de ser). E ainda vêm sessenta e tal por cento de verbas para a investigação?? Eh pá, pois que venham, e continuem a vir. Lógico que o mais provável é criar um excedente de doutorados e pos-docs sem poiso, mas a criação de projectos implica desenvolvimento, que por sua vez implica mais projectos e por aí adiante.
E o resto é como o Ganda diz, desde que o dinheirinho entre e nos tire deste poço sem fundo, quero lá saber quem é que teve a ideia e de onde é que vem o dinheiro (com as aproximações devidas, obviamente). O Sócrates pode não ter tido a ideia, mas foi quem a pôs em prática. Falar todos sabem! Agir, é que já é mais complicado. Ao menos ele não se limita a falar, até age. E até agora não vi nada que nos empurrasse para o fundo como nos empurrou Cavaco (esse teve a sorte de estarmos em tempo de vacas gordas, porque senão estavamos bem arranjados), Guterres, Durão, Santana.
E também ninguém me tira da cabeça que a culpazinha não está só no Governozito, pois não. Enquanto Tuga não parar de se lamentar e não arregaçar as mangas, pois, não sei. E agradar a Gregos e Troianos é impossível, há-de sempre haver Tugas descontentes,para onde quer que nos viremos.
A mal ou a bem, o Sócrates é o único que até agora fez alguma coisa. Portanto, não desgosto dele, não senhora.
Certo, Portugal é insignificante. E que fazer a esse respeito? Ah, já sei! Bora alugar o país aos israelitas... ;-p (isso já é pano para outras mangas, mas pessoalmente acho que são um povo cheio de recursos e que leva o desenvolvimento onde quer que vá; tb acho que são talvez o futuro...deus nos guarde, nos valha, nos leve, não sei...)

Copos não quero, mas aceito um ginger ale... ;-p

ZP said...

Isso é que é falar! ;)

Se o orçamento para a Ciência aumentou 63,7% e se esse aumentou não vem do PIB, é mais um ponto a favor de Sócrates. Se a ciência e tecnologia em Portugal estão como estão não é por falta de investimento público, mas sim por falta de investimento privado/externo.

Eu estou com Sócrates e o seu governo a 100%, e não, não estou iludido por 2 minutos de telejornal bem focado.

Para mim pode ser uma bejeca ;)

Apresentou demissão said...

"E o resto é como o Ganda diz, desde que o dinheirinho entre e nos tire deste poço sem fundo, quero lá saber quem é que teve a ideia e de onde é que vem o dinheiro (com as aproximações devidas, obviamente). O Sócrates pode não ter tido a ideia, mas foi quem a pôs em prática. Falar todos sabem! Agir, é que já é mais complicado."

A mim particularmente interessa-me saber de onde vem o dinheiro, primeiro porque passa logo a ser objectivo entrar em contacto directo com esse remetente e depois porque gosto de saber a quem tenho de dar relatórios ou provas.

O sócrates não pôs em prática nada que não tivesse a ser excutado já à dois anos como eu disse anteriormente, mas pôs sim em prática a "boa imagem" que sabe vender, e se por um lado não o condeno porque afinal um líder tem de saber dar a volta e trespassar tranquilidade e investimento, por outro, comparo isto de alguma forma a um plágio, pois anunciou como se começasse agora a parceria sem indicar quem iniciou o projecto à 2 anos e que já se trabalhou nele nesses mesmos anos. Isto faz-me antever uma coisa muito simples. Para o ano(que faz o 4º ano), dar-se-ão os resultados à universidade de massachussets, e aposto que ele vem dizer o que se conseguiu fazer em apenas um ano no governo dele, quando na verdade foram 4!.
Mas se continuam a dar "PONTOS A FAVOR" ao Sócrates por isto, melhor, não há mais cego do que aquele que não quer ver. E que pelo menos mérito o Socrates tem na maneira como faz as coisas.
Agarrar trabalhos começados por outros, sem os mencionar, ignorando-os mesmo, enfim... cada um tem o mérito que tem e nós que cá estamos, (em telecomunicações, electronica ou informatica, particularmente) sabemos de quem foi o mérito!

E depois, há uma grandeza que se separa completamente destes cromos, que nem sequer se preocupa em reinvidicar a autoria da parceria, porque, diz ele, tem muito para fazer por este país e não se pode dar ao luxo de perder tempo com uma "personagem de telenovela".

ganda said...

Bom por um lado o que é relevante, ou melhor, mais relevante é que os projectos existem.
E na realidade o financiamento que para a dimensao dos EUA é reduzido para Portugal é uma Bencao.
Obvio que o credito tem de ser dado aquem desenvolveu o projecto.
O socrates aproveita-se do que pode, tal como todos os outros... Desafio a apontar quem nao o faça e não só na politica como nas outras åreas ( á excepcao do LFV)!
Eu estou fora, e diz-s que quem está fora racha lenha.

Uma coisa é certa alguem tem de estar á frente das coisas, uns porque avançam e outros porque são empurrados...

Apresentou demissão said...

21 de Novembro...

Está a chegar um novo ano, o que significa mais um passo no processo de “africanização” de Portugal.
A energia eléctrica vai subir 6 por cento!
As portagens das auto-estradas vão subir mais de 3 por cento!
Os ordenados dos trabalhadores aumentarão apenas 1,5 por cento, tendo como referência a proposta do Governo para a função pública.
Os gestores do dinheiro dos outros, nas empresas participadas pelo Estado, na banca e afins, já têm garantido mais um ano de lucros gordos, aumentando, assim, o seu prestígio e competitividade neste mundo globalizado. Os portugueses, esses, continuam a empobrecer alegremente...
(post do "amigo" "leão da estrela" no mesmo blog.

ZP said...

A demagogia no seu melhor...

Apresentou demissão said...

Demagogia... bom, não há melhor resposta quando não se sabe responder.

Não sou político, nem o "leão da estrela", como tal não almejamos a arte de conduzir o povo.

De qualquer maneira desafio a negar o que foi escrito e já agora, que relatem pontos positivos da governação. E não me venham com o choque tecnológico, nem com investimentos nas novas tecnologias, porque ai estou eu, no campo, e não vi melhorias nenhumas, apenas mais burocracias para as Universidade ao tentarem fazer investigação, nem com os apoios a pequenas e médias empresas, com o "negócio na hora" que está a individar neste momento qualquer moço levado pela tentação e menos preparado para pagar as contribuições.

Como à 10 anos que me auto-sustento, e sempre criei negócios que me permitiam sobreviver, pagar as contas e não ficar a dever nada a ninguém, pagar os impostos a tempo e horas, mesmo sem receber do estado o que me devem, estou à vontade para dizer que nunca tive tanto tempo à espera de uma resposta para avançar com um negócio. Porquê? porque o négócio na hora levou o dinheiro à pazada e descontrolado para as ruas sem resultados apoiados numa economia sustentada.

Neste momento o socrates está a governar mais à direita que o próprio PSD faria.

Como tal venham de lá esses pontos positivos, essas matrenidades, esses TGVs essas Otas esses dinheiros para pagar aos professores universitários, essas esquadras da psp a fecharem e como tal, leio aqui já hoje na 1ª página do Diário de Notícias "Número de assaltos a bancos dispara", e venham de lá as benesses que deveriam ser entregues conforme o prometivo aos militares do ultra-mar.

Venha de lá essa anti-demagogia, se fores capaz...
(vamos começar e acabar a falar em helices)

ZP said...

Como pontos positivos posso falar de uma economia a crescer há vários trimestres consecutivos depois da estagnação. Posso falar da tendência decrescente da taxa de desemprego ao longo deste ano. No que diz respeito a medidas mais específicas, posso falar dos complementos de reforma aos idosos mais carenciados, onde a pobreza é mais sentida. Posso falar do espírito reformista deste governo, reconhecido até por um presidente da república chamado Cavaco Silva. Posso falar de muitos outros pontos positivos, e também de pontos negativos que na minha opinião também existem.

Mas quando falei em demagogia não estava a pensar nos pontos positivos ou negativos deste governo. Falei em demagogia porque antes destas eleições, com uma economia estagnada e um défice a bater no tecto, era consensual que eram necessárias medidas impopulares. Um governo PSD também as tomaria. Não sei se um governo PSD aumentaria a função pública em apenas 1,5%, mas de certeza que vários milhares de funcionários públicos iriam parar ao desemprego. Em relação à energia, penso que saberás melhor que ninguém que os tempos de energia barata acabaram por diversos motivos, seja qual for o governo que estiver em funções. Em relação a autoestradas, quem se queixa dos aumentos lembre-se que, apesar da quebra de uma promessa eleitoral que realmente existiu, neste momento existem 3 SCUTs a pagar portagem e com um governo PSD todas pagariam. Eu próprio sou da opinião que todas deviam pagar, mas acho que quem critica devia ser mais coerente.

No que diz respeito ao choque tecnológico, ainda não senti nenhuma melhoria "na pele", nem estaria à espera que isso acontecesse em 1 ano e meio. É um problema estrutural que o nosso país tem e penso que temos que esperar mais algum tempo até aparecerem resultados concretos. Em relação ao programa MIT-Portugal, eu também estou de fora e tenho a certeza que sabes melhor do que qualquer um de nós os contornos desta parceria. Parece-me óbvio que já existiam idéias, contactos, e trabalho anterior feito. De acordo com um artigo da Visão do mês de Abril, que critíca o rumo que este governo estava a dar ao programa MIT-Portugal, é dito que a parceria existe não há 2 anos mas sim há 6 anos, mas diz também que esta só ganhou consistência depois de ser integrada no plano tecnológico deste governo, o que culminou na assinatura do acordo. Li também na comunicação social que 2 novas parcerias semelhantes serão anúnciadas muito em breve, uma com a universidade do Texas e outra com a universidade Carnegie Mellon. Vais-me desculpar, mas acho mesmo muito pouco provável que este governo não tenha qualquer mérito nestas parcerias. Se me provares de forma clara que este governo não tem qualquer mérito, cá estarei para dar o braço a torcer.

Vanadis said...

ZP ao poder! Vota ZP! ;-p

Vanadis said...

E já agora, qto ao aborto mesmo? O referendo está à porta...enfim, a minha decisão está tomada. ;-p Adivinhem lá como é que vou votar...

Apresentou demissão said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Apresentou demissão said...

Não tenho muito tempo, até porque tenho uma longa viagem pra fazer já amanhã, mas gostava de deixar a resposta ao caro ZP, mesmo que a correr.
Com todo o respeito, ZP, demagogia foi isso que acabaste de fazer.

A economia está a crescer há vários trimestres consecutivos, a acompanhar a tendência europeia, e pelos relatórios dados pelo banco de Portugal e publicados no Diário de Notícias, nada tem a ver com as medidas do nosso Governo no sector económico.

Aquilo que mais me desagrada nos Socialistas, é o Oportunismo. Isto vem da filosofia com que nasceram. E depois têm uma enorme necessidade de estar a provar tudo a todos a toda a hora, só para “aparecer”, ficando a maioria das vezes, a provar o que não tem como ser provado, caindo no ridículo, consoante os sectores, aos olhos dos dirigentes dos próprios sectores. Este protagonismo necessário para a vida desta ideologia e forma de governar é para mim, dispensável, porque afinal tudo se resume a ter mais ou menos dinheiro na carteira, conseguir poupar mais ou menos em cada mês, ter mais ou menos poder de compra.

Pode supor-se que o português mediano considera boa a política geral do governo, mas considera má a política sectorial do Governo, que o afecta mais directamente.

Que existe um espírito reformista, penso que ninguém desmente, mas isso não advém somente de Sócrates e da sua governação, mas maioritariamente do incentivo para que isso aconteça, da Europa, que se prepara para a nova constituição. Querer fazer de Sócrates um Marquês de Pombal faz parte novamente do Oportunismo.

Quando disseste “espírito reformista deste governo, reconhecido até por um presidente da república chamado Cavaco Silva”, penso que quererias referenciar o apoio incondicional dado pelo presidente ás suas medidas, e não ao reconhecimento, pois esse é mais do que evidente a todos. De qualquer maneira Cavaco Silva sempre pautou, mesmo nas eleições, que iria ajudar o governo a governar. Agora, se, quando se aproximarem as eleições, Sócrates puser o travão reformista (como eu acho que vai acontecer, por causa da imagem que sente necessidade de dar), aí sim, terá problemas sérios com o Presidente da República.

Não sei onde foste buscar a ideia que existe uma tendência decrescente da taxa de desemprego. A taxa de desemprego em Portugal aumentou 0,9% para 7,7%. Além de Portugal, apenas o Reino Unido apresentou um aumento da taxa de desemprego, e bem menor, de 0,1%. E mais, O mercado de trabalho europeu diz que Portugal não vai conseguir criar postos de trabalho. Basta consultarem os números do IEFP.

Complementos de reforma aos idosos mais carenciados. Dizes-me em que país isso aconteceu?? Em Portugal não! À partida os mais carenciados devem de ser os doentes, e aqui nego peremptoriamente a ajuda do Governo. Perto de 400 fármacos para tratar doenças crónicas, como, Parkinson, epilepsia, diabetes, glaucomas e doenças oculares, deixaram de ser grátis. Entre Outubro de 2005 e Setembro de 2006 custou aos doentes a redução de comparticipação, 8,4 milhões, sendo que 82% destes doentes são idosos!! Exactamente o dinheiro que o Estado poupou. Números avançados pelas farmácias, tendo por base a facturação de um ano

“a gente trabalha toda a vida para ter alguma coisa na velhice, para gozarmos alguma coisa. Mas depois é isto, não gozamos nada. É tudo para os remédios”, Maria Rita, 82 anos, (22 de Novembro, público)



Tenho quase a certeza que já sentiste “na pele” o choque tecnológico! Ou nos olhos…De certeza que já foste a uma loja do cidadão e te deparaste com trintas e tais secções, cada uma com um plasma LG Ecrã 42” (107cm) “HD ready” a anunciar o número da tua vez e a fazer um dling dlong em sistema dolby prologic 2.1.

Tenho pena de não ter lido o artigo da visão que falas.

Se esse artigo crítica o rumo que o governo estava a dar ao programa, faz mal, pois o governo não tinha nada a ver com o mesmo. Era independente e partia da Universidade de Massachussets, financiado pela mesma e que pretendia (e continua a pretender) recrutar os melhores em áreas específicas, quer em Portugal, Kuala Lumpur, Shanghai, Soninkés ou Conchichina.

Carvalho Rodrigues, conhecido como o pai do primeiro satélite português, desenvolveu o seu trabalho a partir de um programa parecido com este, também com o MIT, e não foi à 2 anos, nem há 6 nem há 10!
Não me lembro de na altura haver plano tecnológico, mas teve bastante consistência a ver pelos resultados.

Uma forma clara de te provar, ZP, é convidar-te amigavelmente a vires até Aveiro. Dar-te a conhecer os meus projectos e bebermos alegremente umas cervejas. Veres o que fiz e o que estou a fazer, e constatares os apoios que temos do governo hoje. Que mesmo sem recebermos ($) nada, temos de pedir autorização (agora) a um gabinete de estudos tecnológicos, que não sabemos quem preside quem regula ou quem recebe os pedidos, para nos deslocarmos em nome de Portugal…

Sinceramente não precisamos disso…

Afinal sempre arranjei algum tempo…

Apresentou demissão said...

Lamantavelmente, soube agora, ao ligar para um colega meu da universidade da Madeira, ao questionar este, se estariam representados da feira da ciência e da tecnologia, que a universidade da Madeira ficou de fora do projecto tecnologico, em deterimento da Universidade nova de Lisboa, que entrou agora, fiquei espantado.

Se querem enterrar o Alberto João Jardim tudo bem, até concordo que as verbas enviadas todos as anos não eram justificadas, mas mais vale afundarem a ilha de uma vez por todas.

Apenas soube agora como tal não sei quais foram os critérios, mas se forem os mesmos utilizados pela forma como dividiram o bolo dos dinheiro públicos e poderes para as autarquias, lá está a centralização.
Deve ter a ver com o poupar, mas aqui mas só posso dizer: "Sócrates, onde mexes fazes merda".

Inaceitável...

ZP said...

Na minha opinião, Sócrates tem o oportunismo e necessidade de "aparecer" de qualquer líder, quer seja no governo ou na oposição. O anterior 1º ministro até achava que "aparecia" pouco e decidiu criar uma central de comunicação do governo, em boa hora vetada pelo presidente.

Em relação à política económica deste governo, não sendo a minha área não posso aprofundar, mas à excepção de Luís Delgado (claro está), poucos são o que a criticam, a não ser em questões pontuais. Dados são dados, cada um interpreta-os como lhe convém, tal como os números da taxa de desemprego. Houve um aumento brusco da taxa de desemprego logo após a tomada de posse deste governo. Culpa do próprio governo? Não me parece. No entanto a taxa de desemprego no final do ano passado era de 8,0%, neste momento é de 7,4% (dados do INE).

Em relação ao MIT, é no mínimo estranho que o governo nada tenha feito por este projecto, mas seja o primeiro a ser criticado quando algo corre mal, como na recente polémica entre o conselho de reitores e o ministro Mariano Gago. Parece-me contraditório. Como já disse tou fora e decerto sabes melhor do que falas, só me parece que estás a puxar demasiado a brasa à tua sardinha.

Se eu for a Aveiro tenho todo o gosto em ir conhecer os teus projectos, e para beber cervejas também estou sempre disponível.

Espero também que possamos ter uma conversa destas no final deste mandato, e não agora, com apenas 1 ano e meio de governação.

Um abraço.

ZP said...

Já que falei em Luis Delgado, lembrei-me de um recente "sketch" dos Gato Fedorento:

Santana Lopes não compareceu à gravação da sua crónica semanal na TSF. Foi pena pois era precisamente nesta crónica que Santana Lopes ia criticar José Sócrates por não honrar os seus compromissos. Luis delgado já comentou este facto: "Entre as crónicas que não foram feitas, foi das mais geniais que não ouvi", afirmou o jornalista.

Apresentou demissão said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Apresentou demissão said...

Último reparo:
Terei a conversa contigo, quando quiseres, até pode ser já em maio, quando o governo subir o I.V.A., economia não é o meu forte, mas de papel e lapis na mão com uma calculadora ao lado, sei fazer bem as contas. E já as fiz.

Para conseguirem os numeros que pretendem para o defice até ao 1º semestre de 2007 terão de subir o I.V.A. e mais, o governo não tem legitimidade para utilizar os bancos e para esconder dos olhos do povo os aumentos de impostos para 2007!

Na última vez que falarei no MIT, digo que critiquei e mantenho, o não mencionamento da sua existência antes Sócrates e que critico a burucracia agora criada pra continuarmos o trabalho. Nada correu mal no trabalho em si, porque apesar disto, não precisamos da inteligência de Sócrates para colocar o nosso conhecimento em prática, nem muito menos do seu consentimento pra fazermos avançar Portugal nesta area. O que posso mais fazer do que puxar a brasa à minha sardinha, quando vejo que é a única area que podemos, e disputamos, em igualdade com qualquer outro país (em termos de conhecimento).

Não tive oportunidade para consultar os dados no INE, nem posso agora, mas 1º acredito em ti e depois sei bem a fidelidade que essas estatisticas nos dão,sempre bem perto da realidade. Os meus números são do IEFP, que não são estatisticas mas a divisão real do número de desempregados pela população activa, como tal é um número que não requesita de interpretação subjectiva.

Um abraço.

Vanadis said...

Isto sim, é uma bela discussão amiga entre dois gentlemen. Estou a gostar, estou sim senhora.

Vanadis said...

Ps - não pretendi imputar qq ironia no comentário, é tal e qual literal, oki? :-)