Monday, June 13, 2005

Portugal Mais Pobre

É, amigos, o nosso Portugal está mais Pobre. Em pouco tempo perdeu
Vasco Gonçalves, o Capitão de Abril,


Álvaro Cunhal, esse Grande Homem,


e Eugénio de Andrade, um verdadeiro Poeta.


Portugal não será o mesmo sem vocês.
Salve, grandes homens.

16 comments:

Vanadis said...

Ganda, não queres tornar o post mais rico e pôr umas fotos destes 3 saudosos? Bigada. =)

Vanadis said...

Ficou espectacular. =)

Prof. Bambo said...

Vasco Gonçalves???Esse que auto-nomeou General e quis impor uma nova ditaura em Portugal???
Pouca ou nenhuma homenagem de deve a esse homem...
Ainda ontem ouvi dizer um amigo que muito sofreu com o Salazar:
"Esse gajo já devia ter morrido há 35 anos...".

Vanadis said...

Sério?
Pensei que fosse um dos líderes do 25 de Abril. E nessa revolução alguém tem de ser alguma coisa. Mas isso de querer impor uma nova ditadura, não tinha ideia das coisas assim.

Vanadis said...

Mas o que é certo é que sem este gajo podia não ter havido 25 de Abril. Ele livrou-nos do Salazar.

Vanadis said...

Recordando Vasco Gonçalves como "um democrata convicto", o Movimento considera ainda que "a ele se ficou a dever os avanços mais significativos proporcionados pela revolução, enquanto exerceu o mandato de primeiro-ministro", nos II, III, IV e V Governos Provisórios, entre 18 de Julho de 1974 e 10 de Setembro de 1975.

"Ficará na memória dos trabalhadores portugueses como um fiel intérprete das suas profundas aspirações e um incansável lutador por uma sociedade mais solidária e mais igualitária", é ainda referido na nota.

no Diário de Notícias

Mas óbvio que só quem lá esteve é que sabe...
Vou fazer umas indagações...

Vanadis said...

Bem, vamos lá a ver se já percebi umas coisas...

Há quem tenha a opinião de que o Vasco Gonçalves apenas queria era substituir a ditadura do Salazar pela ditadura do Cunhal...e que se os seus ideais tivessem ido até ao fim, não viveríamos em liberdade. Será?
Não sabemos. O que sabemos é que sem o Vasco Gonçalves não teria havido 25 de Abril e ainda viveríamos numa ditadura fascista, perseguidora, de fuzilamentos e afins. Essa foi a ditadura do Salazar. Não a do Vasco Gonçalves. Aliás, a ditadura de Vasco Gonçalves nem sequer existiu! Pelo que percebi, era um homem coerente que lutava pelos seus ideais e que era democrata! Mesmo partindo do princípio que tinhamos acabado numa ditadura -que não foi o que aconteceu- de certeza que não era como a de Salazar!!
Vejo Vasco Gonçalves como o homem que levou Portugal à liberdade e que nos livrou de Salazar. Os ideiais dele levaram-nos em direcção à liberdade, ou não? Agora, lógico que vão existir divergências de opinião em relação ao que ele queria ou deixxava de querer fazer. Mas isso não aconteceu. E ele, general que era, não impôs a ditadura, nem pôs o País a ferro e fogo para ver a sua ditadura andar para a frente...não perseguiu, fuzilou ou matou quem não concordava com ele. Acabou por ser afastado, e deixou-se afastar. Tinha as ideias dele, mas o Povo não concordava. E ele aceitou, não as impôs.
E, mais uma vez digo que, sem ele não teria havido 25 de Abril.

ZP said...

A verdade é que muitos dos que hoje são conhecidos por "capitães de Abril" e que supostamente "lutaram pela democracia" simplesmente queriam substituir uma ditadura fascista por uma ditadura comunista...

Vanadis said...

Não discuto, é verdade. Mas eles não andaram a perseguir, nem a matar, nem a raptar, nem a torturar em nome dessa ditadura comunista. E quando se viu que não era isso que o povo queria, também não a impuseram. E tinham poder para o fazer...
Daí que eu ache que há uma distância muita grande entre o Salazar e estes Capitães de Abril.
E volto a repetir. Sem os capitães de abril, não haveria 25 de Abril, nem haveria liberdade.

Vanadis said...

Opinião de uma mãe que este em Lisboa durante o 25 de Abril de 74 e que viu os acontecimentos de perto (só não foi aos do quartel da PIDE pq não a deixaram...é maluca! ;-) ): "Vasco Gonçalves era um louco. Mas Spínola e outros não eram. E claro que é tudo demasiado complicado e subjectivo."

ZP said...

Isso pode ser tudo verdade, mas será que lhe podemos chamar "democrata convicto" como está escrito mais acima?

Prof. Bambo said...

Ele pode ser tudo mas de democrata não tem nada!
Há quem merece que lhe sejam chamados os verdadeiros herois do 25 de Abril (Ramalho Eanes por ex.)mas não ao Vasco Gonçalves e ao seu "gonçalvismo" que se avançasse não haveria hoje uma Constituição, nem haveria democracia.
Pessoas como ele e outros como Vasco Lourenço, Octávio Pato e Otello S. Carvalho não merecem nem que se fale deles quanto mais prestar homenagem...

Pecaaas said...

Visite PF
http://encontroblogalgarve.blogspot.com/

Apresentou demissão said...

Todos morreremos um dia. Condolência às suas familias pelo pesar enquanto seres humanos e só isso.
A minha mente não consegue assimilar herois. Fizeram o que tinha de ser feito! Se nãO fossem estes eram outros! Não eramos, nem somos chineses, iraquianos nem cubanos, a nossa mentalidade, cultura, não podia permitir mais o regime de ditadura! Eles tiveram sorte de lá estarem na altura que não dava para aguentar mais! Sorte, não porque sofreram, mas por terem a oportunidade de se tornarem "imortais", e serem recordados pra sempre. Respeito-os, como respeito toda a gente. Mas nem sequer partilhava dos seus ideais. E quando li o título "Portugal mais pobre" pensei que iriam falar do nosso primeiro ministro...que ainda não morreu... ao contrario destes que sem fazerem nada agora, ainda mamavam do estado, juntamete da reforma a que tinham direito. Aliás, enquanto for este o nosso primeiro ministro, portugal mais rico não vai ficar. Depois do Vitor constancio, que lembre-se, entregava as contas portuguesas, depois de as receber das mãos de Bagão Félix, a Bruxelas, ter ficado "estupfacto", com a situação das mesmas (acho que entregava os documentos sem ler, só pode) decidiu em conjunto com o nosso primeiro ministro, criar uma coisa fabulosa e que não ficará para a história porque o PS já nos habituou a virar a casaca cada vez que há pressão, tipo, pró lado que o vento soprar...Mas essa coisa fabulosa, primária mas fabulosa, foi a de inventarem um número para o deficit muito superior ao real, pra justificarem o aumento do I.V.A. ao contrario do que foi a sua bandeira nas eleições, e assim arranjar uma desculpa. Assim, vêm com o discurso dos coitadinhos que não sabiam, que os outros ocultaram e agora tem de ser assim... pois, mas sabiam! O vítor sabia! Se um erro é mau, corrigir o mesmo com outro erro, faz deles o quê? O presidente nem se manifesta, pra quê não é o Santana nem ninguem da oposição pra quê falar disso? São mais heróis estes, que os outros de abril... em tempos que as consciencias não estão em modo de ditadura, ainda assim, conseguem palmas da maioria.

Vanadis said...

Chiça, redfox, tás danado... ;-). Ok, percebo a tua zanga. Mas também digo para termos todos um pouco de calma e tentar aguardar. Este Governo ainda não teve tempo para fazer nada, nem para melhorar nada que se visse. Temos de ser mais pacientes. Daqui por 4 anos é que realmente se poderá ver se este foi ou não um Governo positivo...

Quanto aos Capitães de Abril, continuo a achar que, tivesse o tipo os ideais q tivesse, ele foi um dos que nos livraram do Salazar, foi um dos líderes da Revolução dos Cravos, ajudou o 25 de Abril a acontecer. Acho que só por isso merece ser lembrado.
Quanto aos ideais dele, dos quais discordo, eram apenas isso, ideais. Ele foi afastado e deixou-se afastar e nós não vivemos em nenhuma ditadura comunista, gonçalvista ou cunhalista. Mas, olhem, vivemos em algo secalhar parecido: ditadura popular-socialista (ps e psd num ciclo infindável quase desde os governos provisórios)...quase que preferia a comunista (se funcionasse e se não fosse uma pura utopia...)...

Olhem, eu gostava mesmo era de viver numa ilha utópica, bem ao estilo de Tomas Moore, onde todos trabalham em troca de trabalho e onde o dinheiro não existe. São todos iguais, todos livres, todos ensinados. Funciona. Na utopia.

Mas como não vivemos em utopia e somos escravos, isso sim, da ditadura capitalista, teremos de gramar estes 4 anos de Sócrates e esperar que as coisas melhorem. Senão, daqui a pouco ainda tá tudo a dizer "no tempo do Salazar é que estava tudo bem..." (e olhem que eu já ouvi isto...)

Vanadis said...

E é verdade, todos morremos um dia. Mas eu prefiro não pensar nisso. Ou, especialmente, não me lembrar que os meus avós, que eu tanto gosto, têm quase a mesma idade que estes três... :-(

Secalhar acaba por ser esse o impacto mais forte que estas mortes tiveram em mim. O saber que um dia o meu mundo vai ficar muito mais pobre. E o não aceitar. Secalhar é mais isso, admito.