Thursday, May 20, 2004

Ena, ena ! ou O Paradoxo do Nada que é Alguma Coisa

Ena, ena!! Ganda Ganda! Já consegui chegar aqui!! Bigada, migo-bom-a-perder-chaves-e-a-comer-morcelas!!
E pronto, lá se foi a Sra Dona Inspiração...acho que só mesmo ás quatro da manhã, quando o consciente começa a adormecer e o subconsciente a acordar...aí sim, talvez saia alguma ideia filosófica mirabolante, como por exemplo o paradoxo do nada que é alguma coisa!! Se quiserem saber o que é, não me faço de rogada. Só têm de continuar a ler (se não quiserem saber...azar! Leiam na mesma!). Pois então, aqui vai...

Ora bem...o qué é o Nada? É Nada. Mas, se o Nada é Nada, então sempre é Alguma Coisa. Portanto, o Nada não existe, visto que é Alguma Coisa. Mas quando o Nada-que-é-alguma-coisa-se-instala, existe. Consequentemente, o Nada existe, mas por ser Nada, não existe.

Se não fizer sentido, paciência...é que não são quatro da manhã...

Beijocas p todos!!

15 comments:

ZP said...

Vanadis, eu sugiro mesmo que voltes a repetir esta tua teoria, mas exactamente às 4h da manhã. É que eu não consegui chegar lá, mas aposto que se fosse mesmo às 4h da manhã em ponto, tudo seria diferente e tinha-se gerado um debate aceso sobre o tema. Fico à espera...

Vanadis said...

Fazemos assim, volta a ler às 4 da matina, vais ver que já vai fazer sentido... ;-)

ZP said...

mmm...mmm...ok, ok!

ganda said...

Explica lá a parte do "Mas quando o Nada-que-é-alguma-coisa-se-instala, existe"!!
Eu quanto a mim, o Nada existe e é alguma coisa: é Nada.
E repara que é bem real, e todos nós temos, querem ver?
Tipo:
Eu queria um emprego/bolsa o que for, o que é que eu tenho? NADA

Eu queria umas férias pagas num sitio paradisiaco, o que é que eu tenho? NADA

pois acho que já se aperceberam...
NADA, NADA, NADA!!

dharyk said...

ser às 4 da matina não tem NADA a ver... que eu tou a escrever isto ás 6 da tarde e continuo sem ter NADA... nem gajas, nem vinho verde, nem bolsa nem emprego... AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI! A PUTA DA MINHA VIDA!!!!!

dharyk said...

descobri uma pequena "inexactidão" na postulação do problema. quando dizes "...o qué é o Nada? É Nada. Mas, se o Nada é Nada, então sempre é Alguma Coisa..." deverias dizer "...o Nada não é Nada, sendo assim Alguma Coisa..." (não nada = alguma coisa, ou em lógica, o não nada pertence ao conjunto de tudo). Isto no entanto cria aqui uma parábola, no sentido em que é dito que o Nada não é Nada, ou que é Nada. Ora o Nada não pode ser Nada e não Nada ao mesmo tempo, ou será que pode? A verdade é que pode, sendo essa inclusivamente uma das propriedades intrínsecas do Nada, a de ser e não ser ao mesmo tempo (muito Shakespeariano, não? "To be or not to be..."). Logo, o Nada existe de facto e fá-lo ao não existir, o que torna a tua designação de "Nada-que-é-alguma-coisa" falaciosa, devendo ser descrita como "Nada-que-não-é-Nada-sendo-Nada".
Perceberam "Alguma Coisa"? "Nada"?

Vanadis said...

Vai dar ao mesmo...disseste o mesmo que eu...e deixa lá a lógica e a matemática de lado! Sabes porquê? Porque eu digo: a matemática não existe. É somente uma linguagem inventada pelo Homo sapiens para explicar o q

Vanadis said...

Vai dar ao mesmo...disseste o mesmo que eu...e deixa lá a lógica e a matemática de lado! Sabes porquê? Porque eu digo: a matemática não existe. É somente uma linguagem inventada pelo Homo sapiens para explicar o q

Vanadis said...

Vai dar ao mesmo...disseste o mesmo que eu...e deixa lá a lógica e a matemática de lado! Sabes porquê? Porque eu digo: a matemática não existe. É somente uma linguagem inventada pelo Homo sapiens para explicar o q o rodeia. Não existe, foi inventada.
Qto ao Nada que é Tudo ou Alguma Coisa...é isso mesmo que eu disse: se o Nada é Nada, então sempre é alguma coisa. É suposto estar associado à não-existência, mas se É Nada, e dou enfâse ao tempo verbal "É" (verbo SER, portanto), então EXISTE. Só que, infelizmente, é isso mesmo, apenas Nada. Mas existe. E não existe. E é como dizes (ou como diria Hamlet) e muito bem: to be or not to be...that´s the question!

Vanadis said...

FFFFFFFFF...sou mesmo uma ganda naba...publiquei metade do texto duas vezes UhUhUh...sooooooooooorry...

dharyk said...

belas palavras a tentar compensar merda feita... ainda bem que as mulheres não se medem pelas palavras mas sim pelos (...)! bem, tenho dito!

dharyk said...

ah, não me compreendam mal, não estou a querer insultar ninguém... apenas me limito a constatar factos. e quanto a dizeres que eu disse o mesmo que tu disseste, não disse. porque dizer que X é X é uma redundância, mas dizer que X não é X sendo X é filosofia... (ora pergunta à minha professora do secundário se não é)
O Nada é Nada... daaaah! isso é o mesmo que dizeres que o Benfica ganhou a Taça!!!

Vanadis said...

Dizer que o Nada é Nada é uma conclusão. O Nada não é Nada porque é Nada. E acabou a conversa aqui. Qto ás profes de filosofia, teria de conhecer a tua, porque se for como a minha, que me insultou por eu ter o desplante de dizer que o Hompo sapiens tem instintos...não dou um tostão por ela...

ganda said...

Oláaaa, o HOMO Sapiens tem instintos?? porra!!
Claro que tem!! Tem um bem primário e animal!!
O instinto por uma bela BEJECA, CERVEJOLA, ou whatever!!
Essa tua prof. era mesma uma naba!!
Sobre a minha não posso falar: o nome dela era "Martinha" e o By-pass deu cabo dela!!!

Vanadis said...

Pois a minha era uma tota de primeira, tadita. Certa vez ameaçou um aluno, o Campina, com uma ida ao gabinete do CD e isto por o dito rapazinho ter tido o azar de arrotar na aula dela...
Outra vez resolveu testar a pontaria e tentar impor a ordem na sala atirando o apagador-de-giz na direcção de um pobre coitado virado para trás (estava fervorosamente embrenhado numa discussão filosófica com os macacos da carteira de trás, sobre se a aula a seguir seria geografia ou português...ou qq coisa assim). Sim, pobre coitado, que não sabia onde o dito apagador iria aterrar...digamos que poderia ter sido vasectomisado à pancada...