Wednesday, June 09, 2004

Morreu o Pai do défice

Assim ficou conhecido Sousa "Seja" Franco.

Não lanço esta notícia por ser socialista ou coisa que o pareça, até porque já exprimi a minha opinião sobre as Europeias AQUI
(e até acho que foi um post marginalizado injustamente aqui neste blog, parece que aqui o ppl não gosta de discutir temáticas do foro politico, eu gosto prinicipalmente é de discutir!)
Este post é um bocado um post de estupefacção. Sim estava eu no café descansadito, quando o João "grandalhão" Brandão chegou à mesa e disse: "Morreu o seja Franco", e eu não acreditei... mas era verdade.

O PS e o PSD já concordaram em terminar a campanha, e a minha curiosidade prende-se com o facto de que se a abstenção era já para ser grande, penso que depois do falecimento do candidato do PS, vai ser ainda maior...

"Ora Tomem Lá"

3 comments:

Pedro Sinhá said...

poix...
ainda agora deu um comentador na rtp1 a dizer uma grande verdade..
ontem o Sousa Franco era isto e aquilo, e hoje é uma grande homem...
tenho pena é k isto aconteça, kd as pessoas morrem são levadas ao altar, enquanto tão vivas diz.se tudo e mais alguma coisa sobre elas...
são axim os nossos politicos, mas pronto....

[]

Vanadis said...

A sério??? Mas como?? Não ouvi nada nas news...oh...é sempre triste, seja quem for que morra, é sempre triste...
Pelo menos o PS e o PSD pararam de lançar cobras e serpentes uns aos outros. Que raio, como querem que o people vá votar se eles passam todo o santo tempo de antena a degladiarem-se ferozmente usando o palavrão e a difamação como arma e escudo? E depois admirem-se que a abstenção ou voto branco sejam alarmantes.
E sim, o Sinhá tem toda a razão! É preciso morrer-se para que se diga bem...enfim...pensar que Portugal já foi um grande país...
Volta Viriato, estás perdoado!!! Volta Afonso Henriques, estás perdoado!!!

ganda said...

Não queremos nem devemos dramatizar, nem tão pouco fazer do Professor um mártir, mas a verdade é que o Professor também deveria fazer parte das pessoas que não cuidava da sua saúde. Provavelmente, não media a tensão há muito tempo. A sua morte já estava prevista", lê- se no comunicado do PPM. (..)
"Ao mesmo tempo, estamos certos, esta foi a melhor e a mais eficiente forma do Professor dizer basta desta politiquice e dos politiqueiros que a alimentam", referem os monárquicos (...)
in Público